Bomba de insulina pelo plano de saúde

Uma amiga minha muito próxima descobriu que tinha diabetes e  precisou contratar uma advogada para conseguir uma bomba de insulina pelo plano de saúde.

Depois de conversar com alguns advogados ela recebeu a indicação de contratar uma advogada especialista em direito da saúde.

Ela estava me explicando a loucura que a vida dela se tornou depois de saber que tinha a doença e adivinhem? O plano NEGOU a porra da bomba de insulina!

Para quem não sabe, bomba de insulina é um aparelho eletrônico que libera insulina no organismo automaticamente, usada no tratamento de diabetes tipo 1. O dispositivo é pequeno e portátil, e fica conectado ao corpo por meio de uma agulha flexível.

A pergunta que vem a cabeça é:

Por que os planos de saúde negam a cobertura da bomba de insulina?

Atualmente, o preço de uma bomba de insulina varia entre R$14 mil e R$20 mil, de acordo com a marca e modelo do aparelho. Além disso, os insumos mensais podem custar algo em torno de R$3 mil a R$6 mil!

Esse valor está fora da realidade de muitos beneficiários, que têm como única alternativa a cobertura pelo plano de saúde. Entretanto, infelizmente, muitos segurados são surpreendidos pela recusa do fornecimento.

A principal alegação dos convênios para negar a cobertura é no sentido de que o tratamento não está previsto pelo rol de procedimentos da ANS.

Geralmente, essa terapia é indicada pelo endocrinologista para substituir injeções, sobretudo quando não fazem o efeito esperado.

Resumindo.  O plano simplesmente nega o bomba por que na lista de cobertura que tem tudo que o plano deveria cobrir a bomba de insulina não está inclusa! A única maneira é processar o plano coma ajuda de um advogado e esperar que ele ganhe a causa.

Nesse vídeo a Dra. Nathalia Cavalcanti (que é especialista no assunto e ganhou a causa) explica melhor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *