Revista GGN

Assine
imagem de Mário Lima Jr.
Profissão Escritor (mariolimajr.com)

CONTEÚDOS DO USUÁRIO

Postagens

A pobreza se tornou ilegal em São Gonçalo (RJ), por Mário Lima Jr.

A cidade de São Gonçalo, dona da segunda maior população do Estado do Rio de Janeiro, acordou diferente nesta manhã: a Lei Nº 7, que torna a pobreza ilegal, foi aprovada ontem em definitivo pela Câmara de Vereadores. São Gonçalo orgulha o Brasil por ser a primeira cidade do mundo a criminalizar a pobreza.

O morador de rua, em condições insalubres, ou quem não tem o que comer pode prestar queixa contra a Prefeitura na delegacia. Se comprovado que houve negligência assistencial, os funcionários públicos responsáveis podem ser presos.

Exigiu bastante esforço dos vereadores a aprovação da Lei de Repúdio à Pobreza, como também é chamada a Lei Nº 7. O prefeito vetou integralmente o projeto alegando "contrariedade ao interesse público". Apelando à Constituição Federal, que estabelece moradia e alimentação entre os direitos sociais brasileiros, os defensores do projeto na Câmara conseguiram maioria simples para derrubar o veto. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Outras tragédias além de Temer na Presidência, por Mário Lima Jr.

Outras tragédias além de Temer na Presidência

por Mário Lima Jr.

Ocupa a Presidência da República um homem sombrio investigado por obstrução à justiça, corrupção passiva e participação em organização criminosa. Alguém que trouxe prejuízos graves à democracia nacional. Além do governo Temer, que completou um ano mês passado, há outras tragédias mais antigas - embora menos debatidas - em curso no Brasil. Nas cinco regiões do país, crianças são exploradas sexualmente e vendem balas nos sinais de trânsito, por exemplo.

Por mais improváveis que possam parecer nos momentos de incerteza política, o afastamento de Michel Temer e a convocação de eleições diretas são desejos populares legítimos. Segundo a pesquisa CUT-Vox Populi divulgada dia 5 de junho, 85% dos brasileiros queriam que o Tribunal Superior Eleitoral cassasse o mandato do presidente e 89% desejavam eleições diretas para substituí-lo.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Atlas da Violência confirma desprezo pela juventude negra, por Mário Lima Jr.

Atlas da Violência confirma desprezo pela juventude negra

por Mário Lima Jr.

De acordo com o Atlas da Violência 2017, publicado semana passada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 588.579 pessoas foram assassinadas no Brasil de 2005 a 2015. Mais da metade eram jovens e 71%, negras. Para alguns, os números são desesperadores. Parte importante da população vê o jovem negro e pobre como bandido e não se sente tão abalada.

A indiferença, que flui dos quatro cantos do Brasil e se aglutina aos Três Poderes em Brasília, viabiliza um genocídio: em apenas três semanas o total de assassinatos no país supera a quantidade de pessoas mortas em todos os ataques terroristas no mundo nos cinco primeiros meses de 2017. Desenvolvido em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), o estudo confirma o perfil das vítimas, nosso velho conhecido: jovens com idade entre 15 e 29 anos, negros e com baixa escolaridade.

Daniel Cerqueira, pesquisador do IPEA, disse em entrevista que "sabemos onde o problema está localizado, quando acontece, de que forma acontece, quem são as vítimas e no entanto não se faz nada". Em uma década a taxa de homicídios por 100 mil habitantes aumentou 10,6%. Em 2015 foram assassinados 59.080 brasileiros. São números equivalentes a situações de guerra.

Leia mais »

Média: 3.3 (7 votos)

A simplicidade da corrupção, por Mário Lima Jr.

Foto: Fotos Públicas

A história recente da política brasileira, marcada pela corrupção, traz surpresas demais até para cientistas políticos experientes. O cidadão comum frequentemente desiste de entendê-la, procura um bar - ou o Jornal Nacional - e canta o refrão da música "Deixa a vida me levar", de Zeca Pagodinho. Se, por um instante, isolarmos os detalhes abundantes das notícias e destacarmos os objetos de desejo daqueles que traíram o voto popular, perceberemos que seus interesses são bastante parecidos e consideravelmente simples.

Leia mais »

Média: 4.3 (6 votos)

Servir mediante pagamento fere a razão humana de existir, por Mário Lima Jr

lavapes2.png

Por Mário Lima Jr

Somos seres criados para ajudar uns aos outros naturalmente, pelo bem comum. Não por dinheiro ou comida. Não para o conforto alheio. Servir mediante pagamento é o mais grave desvio da razão humana de existir.

Nascemos iguais em dignidade. Nossa essência consiste em cuidar sem esperar recompensa em troca. Violá-la traz danos profundos aos envolvidos.

Se a empregada doméstica, exemplo frequente de servidão abusiva, fosse capaz de concluir seus afazeres e voltar para casa com a individualidade intacta, sem qualquer envolvimento emocional forçado com a realidade dos patrões, sem ouvir uma palavra sequer sobre a intimidade de quem paga seu salário, sem resolver qualquer futilidade particular estranha, como comprar um esmalte de unhas para a patroa, ou pegar no colo o bebê dela que chora, este trabalho teria legitimidade e deveria ser muito bem remunerado.
Leia mais »

Média: 2.8 (11 votos)

Finalmente um presidente corrupto

Ocupa insistentemente a Presidência da República um negociante incontestável de medidas que pervertem a ordem moral do Estado brasileiro. Tão íntimo da prática criminosa que aconselha, na própria casa, empresários corruptos e poderosos mediante troca de favores. Ao cidadão brasileiro não resta alternativa senão democraticamente combater este governo vil enquanto Temer estiver vivo no Palácio do Planalto; negá-lo até a chegada de um presidente honesto. Leia mais »

Sem votos

Esquecemos de comemorar a criação da Lei Áurea, por Mário Lima Jr.

lei-aurea-abolicao.jpg

Imagem: Arquivo

Por Mário Lima Jr.

O linchamento de Lula e Dilma por crimes de corrupção ainda não julgados ocupa espaço demais na opinião pública. Um país criado, durante mais de três séculos, a partir do suor e do sangue negro e indígena deveria destacar os 129 anos da extinção oficial da escravidão, em respeito à própria História.

Lembrar que a escravidão foi abolida através da Lei Nº 3.353, de 13 de maio de 1888, pode despertar a consciência popular a respeito da formação do Brasil. Continuamos tão preconceituosos e violentos quanto no passado escravocrata.

O negro ganha destaque nos sites de grandes jornais brasileiros quando supera a pobreza e se torna juiz (Globo, Estadão e Folha até o meio da tarde do dia 13/05/17 não citavam o aniversário da Lei Áurea). Vira notícia porque geralmente está associado às profissões subalternas como faxineiro e lixeiro. Negros ocupam apenas 18% dos cargos de destaque no Brasil, embora pretos e pardos sejam a maioria da população, segundo o IBGE.

Leia mais »

Média: 4.3 (7 votos)

Crítica à estupidez política nas redes sociais, por Mário Lima Jr

Crítica à estupidez política nas redes sociais

por Mário Lima Jr

Uma publicação no Twitter de Marcelo Freixo sobre a importância da iluminação para a segurança pública serve há 8 meses como motivo de escárnio contra o deputado estadual do Rio de Janeiro. Acusam Freixo de preferir luz ao invés da presença da Polícia Militar (PM) diante de um confronto com traficantes de drogas armados. A zombaria idiota e o gosto pela brutalidade marcam o posicionamento “político” de inúmeros brasileiros na Internet.

Distorcer declarações honestas é um esporte bastante praticado. O trabalho de Freixo pelo desenvolvimento da segurança pública é notório: começou em 1989 como professor no sistema prisional, passou pela CPI das Milícias, do Tráfico de Armas e Munições e se estende até hoje na presidência da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio.

Leia mais »

Média: 3.9 (17 votos)

Interpretação da pobreza brasileira, por Mario Lima Jr.

 17,3 milhões
Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Por Mario Lima Jr.

De acordo com a estimativa mais otimista do Banco Mundial, 19,8 milhões de pessoas tentarão sobreviver com menos de R$ 140 por mês até o fim de 2017 no Brasil (O Globo). O problema é grave demais para limitarmos suas causas aos erros das gestões presidenciais petistas ou do governo Temer. A pobreza é defeito da organização social humana da qual participamos igualmente.

O Brasil já tem hoje tantos pobres quanto a soma das populações de Bolívia e Paraguai: 17,3 milhões. Lembrando que o critério de definição da pobreza estipulado pelo Governo Federal (menos de R$ 140 mensais) é seis vezes inferior ao salário oficialmente considerado mínimo para uma existência digna.

A fim de combater as consequências da atual recessão econômica que transforma os mais vulneráveis em milhões de novos pobres, o Banco Mundial sugere a elevação entre R$ 600 milhões e R$ 1,2 bilhão dos recursos destinados ao Bolsa Família, que conta com R$ 29,8 bilhões em seu orçamento anual. Criado em 2003, o programa assistencial é reconhecido mundialmente por reduzir a miséria através da distribuição de renda, historicamente mal executada. Em uma escala de 0 a 1, chamada de índice de Gini, que mede o grau de concentração de renda onde o número 1 indica desigualdade máxima, a nota brasileira em 2015 foi 0,491 (PNAD/Exame).

Leia mais »

Média: 4 (6 votos)

Viva o trabalhador brasileiro ameaçado por Temer e seus comparsas

Por ter ido às ruas no dia 28/04 contra as criminosas reformas trabalhista e previdenciária. Por ir às ruas hoje, nesse 1º de maio, em busca de justiça social; viva o trabalhador brasileiro!

Que se dedica à labuta e tem seus direitos ameaçados deliberadamente por corruptos que servem aos interesses econômicos que sugam as riquezas do País.

Viva o empregado que faz dezenas de horas extras por mês, não raro sem ganhar um centavo a mais por engordar a conta bancária do patrão.

Parabéns ao especialista terceirizado, que comprovadamente ganha menos e trabalha mais que seus colegas contratados (Dieese).

Ao empregado que é coagido a vender suas férias anualmente sob ameaça de demissão.

Salve aqueles que suportam assédio moral, gritos do patrão seguidos por tapas na mesa e insinuações debochadas de incompetência.

Viva o funcionário que mora longe do local de trabalho. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Um país dividido entre grevistas e conformados, por Mário Lima Jr.

greve_cesar_itibere_fotos_publicas.jpg

Foto: Cesar Itiberê/Fotos Públicas

Por Mário Lima Jr.

A greve do dia 28/04/17 serviu de estopim para o fim de amizades fragilizadas nas redes sociais, por onde circulam mais de 93 milhões de brasileiros (Forbes). Grevistas não admitiram ter amigos conformados com as propostas do Governo Temer, e vice-versa, provando que a gravidade da vida política brasileira se estabeleceu definitivamente nas relações digitais. Pela tela dos dispositivos, móveis em sua maioria, o país se dividiu em dois lados mais apaixonados pelo próprio discurso do que pelo debate.

Grevistas se posicionaram contra as reformas trabalhista e previdenciária. Ambas prejudicam o trabalhador comum da forma como foram planejadas porque permitem uma jornada de trabalho mais longa e o obrigam a um tempo de contribuição maior. Conformados questionaram a legitimidade da liderança grevista, formada por movimentos sociais e centrais sindicais, mas não discutiram a fundo as razões da greve, como é de se esperar do típico comportamento virtual.

Leia mais »

Imagens

Média: 4.2 (10 votos)

Todos os bandidos morreram e o Brasil continuou o mesmo, por Mário Lima Jr

Todos os bandidos morreram e o Brasil continuou o mesmo

por Mário Lima Jr

Os marginais do Brasil (exceto políticos corruptos) morreram no dia 22/04/2017 de uma só vez, por milagre. Deus, que é brasileiro, ouviu as preces do cidadão de bem que ensina o respeito à Lei e à Ordem aos seus filhos e representa a família, a religião e os bons costumes.

Católicos disseram que Nossa Senhora Aparecida intercedeu, evangélicos repudiaram a ideia, mas os dois lados concordaram que foi maravilhoso ouvir os uivos dos assaltantes, assassinos, traficantes e estupradores dentro dos presídios e celas do país.

Leia mais »

Média: 4.6 (9 votos)

Jornais conduzidos à vergonha

Nas suas versões online, os dois maiores jornais brasileiros em circulação, Folha de São Paulo e O Globo, destacaram a condução coercitiva de Lula como se fosse o fim esperado de uma longa guerra sangrenta quando não corresponde nem à sentença final de um processo jurídico criminal. Algo diferente do Jornalismo, essencialmente imparcial, produziu histérica euforia nos veículos e envergonhou a imprensa brasileira na última sexta-feira (04/03).

Lula foi presidente do Brasil por oito anos, entre 2003 e 2010, e até hoje é a voz mais cativante da política nacional, capaz de mobilizar multidões. Ao se tornar um dos onze alvos da 24ª fase da Operação Lava-Jato, o ex-presidente ocupou metade dos sites dos jornais associado a suposições inúmeras ainda não completamente investigadas, causando no leitor tédio pela mesmice previsível e indignação contra a ausência de informações honestas. Folha e O Globo agiram como uma criança de 1 ano de idade com um brinquedo novo, a Polícia Federal batendo na porta da casa de Lula, e o babaram, morderam e jogaram o brinquedo para o alto; se possível, soltariam fogos de artifício na Internet. Leia mais »

Imagens

Sem votos

Brasileiros sem direitos

O informe da Anistia Internacional sobre a situação dos direitos humanos no mundo, divulgado dia 23 de fevereiro, obriga aos brasileiros a readmitir que vivem sob um regime secular socialmente desigual, violento e preconceituoso. Presente em mais de 150 países, a proposta da organização não governamental é clara: combater milícias e órgãos do Estado que agridem fatalmente a liberdade, cidadania e integridade física de grupos específicos: pobres, negros, índios, LGBTs e outras minorias. Leia mais »

Imagens

Sem votos

Ressaca melancólica brasileira, por Mário Lima Jr

Por Mário Lima Jr

Bebemos, pulamos e transamos, mas o Carnaval de 2016 foi insuficiente para o povo brasileiro esquecer suas tristezas. Nas ruas parece que ainda estamos de ressaca, apáticos, amarelos, indispostos. O efeito do álcool passou. Quando o país enfrenta recessões econômicas e sociais tão graves quanto a atual, a pior das últimas duas décadas, assumimos imediatamente certa melancolia submissa que implora baixinho por salvação aos céus.

Poucos cidadãos são capazes de reagir com facilidade ao trauma da realidade inflacionária altíssima combinada com 9 milhões de desocupados. Historicamente eles habitam movimentos sociais de luta, como MST, UNE e CUT, hoje paralisados pela ilusão de que o prepotente governo Dilma - desde o princípio enterrado na própria incapacidade - combate a pobreza.

Não há qualquer dado estatístico ou previsão de mercado, de nenhum órgão mundial, que aponte alguma recuperação nos próximos três anos. Pelo contrário: a economia piora a cada dia e com ela as previsões, que por mais pessimistas ultimamente ficam distantes da crueza da realidade brasileira.

Parte do abismo em que ainda estamos caindo, a crise política amortece a pele mestiça e colorida do brasileiro e a presidente Dilma não dá provas de liderança que mereçam a confiança popular por dias melhores. Sua defesa entregue quinta-feira (18) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), contra uma ação do PSDB de impugnação do seu mandato, alegou principalmente que os acusadores também receberam das empreiteiras envolvidas em corrupção recursos para financiamento de campanha. Na verdade estão dizendo "somos tão culpados quanto eles" enquanto o cidadão gostaria de ouvir "definitivamente não exigimos milhões de reais através de doações oficiais para a manutenção de contratos com a Petrobras".

Leia mais »

Imagens

Média: 2.3 (3 votos)

Fotos

Sem colaborações até o momento.

Vídeos

Sem colaborações até o momento.

Documentos

Sem colaborações até o momento.

Áudio

Sem colaborações até o momento.