Revista GGN

Assine

joesley batista

Raquel Dodge envia ao STF parecer contra liberdade a Joesley e Saud


Foto: DIvulgação

Da Agência Brasil

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer pela manutenção da prisão preventiva do empresário Joesley Batista, um dos sócios do grupo J&F, e do executivo do grupo Ricardo Saud. Ambos foram presos no mês passado por determinação do ministro Edson Fachin após a rescisão dos benefícios do acordo de delação premiada.

Na manifestação, a procuradora sustenta que a prisão preventiva dos acusados é necessária diante da gravidade dos fatos apurados e para prevenir a prática reiterada dos crimes. Dodge também destacou a possiblidade de os acusados fugirem do país por terem bens, contas bancárias e residência no exterior.

“Estão presentes não só os pressupostos da prisão preventiva – boa prova de materialidade e de autoria – mas, igualmente, o risco à investigação e à instrução criminal, à ordem pública e à aplicação da lei penal, bem como a adequação de tal medida no caso concreto”, diz o parecer.

Leia mais »

Média: 3 (1 voto)

Temer comprou dois terrenos um dia após propina delatada pela JBS

Montagem com fotos de Lula Marques

Jornal GGN – Quando Joesley Batista, da JBS, entregou as gravações que implicavam políticos, um dia depois da data que diz que entregou o dinheiro a Temer ele comprou dois terrenos em um condomínio de luxo em Itu, no interior de São Paulo. Os terrenos somam 4.700  metros quadrados e fica no condomínio Terras de São José II, que tem 20 quadras de tênis, dois campos de futebol, academia de golfe, centro hípico e heliponto.

As informações, veiculadas pelo jornal El País, dão conta de que a aquisição seria só uma movimentação típica de um milionário, caso não chamasse a atenção pela coincidência de datas entre a aquisição e a delação que conta a entrega do dinheiro.

Leia mais »

Média: 4.6 (9 votos)

Justiça determina bloqueio de R$1,6 bi em bens dos irmãos Batista e familiares

Bens do empresário Joesley Batista foram bloqueados pela Justiça (Rovena Rosa/Agência Brasil)

da Agência Brasil

Justiça determina bloqueio de R$1,6 bi em bens dos irmãos Batista e familiares

André Richter

A Justiça Federal em Brasília determinou hoje (6) o bloqueio de bens dos empresários Joesley e Wesley Batista, da JBS, além de recursos de familiares e de empresas ligadas a eles. A medida foi determinada pelo juiz federal Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal em Brasília. A cautelar prevê o bloqueio de aproximadamente R$ 1,6 bilhão para ressarcimento ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), que detém participação no regime societário de algumas empresas do grupo.

Leia mais »

Sem votos

Xadrez do feitiço que virou contra o MPF, por Luís Nassif

Peça 1 - os fakenews da mídia

Os fakenews foram introduzidos no mercado de opinião brasileiro pelos grupos de mídia. Foram eles que criaram notícias falsas, como os dólares de Cuba, a invasão das FARCS, as contas secretas no exterior, a ficha falsa da Dilma.

Hoje em dia, há uma preocupação nítida da mídia de restringir os fakenews aos sites de boatos das redes sociais. E esse trabalho é ajudado pelos sites de checagem de notícias.

Esses sites pecam por um problema de conceito, passando ao largo de dois tipos de manipulação.

Leia mais »

Média: 4.6 (26 votos)

Maioria acha que Temer é "amigo e cúmplice" de Joesley Batista, diz pesquisa do governo

Foto: Lula Marques

Jornal GGN - Uma pesquisa realizada pelo Instituto Análise, a pedido do governo, mostra que Michel Temer foi considerado "amigo e cúmplice" dos crimes de Joesley Batista, já que ouviu os relatos ilícitos na condição de presidente da República e nada fez. A sondagem, reportada pelo jornal O Globo nesta segunda (2), foi feita em junho em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Salvador, com homens e mulheres acima de 18 anos, das classes A, B e C.
 
Os participantes afirmaram que o fato de Temer “saber das ações ilícitas do empresário da JBS e não prendê-lo” fizeram do presidente um "cúmplice" dos desvios. 
 
A maioria também disse que a confiança de que o governo Temer poderia chegar bem avaliado até o final de sua gestão acabou-se no momento em que o escândalo veio à tona. “Após essa gravação, a esperança atribuída ao representante maior do Governo Federal exauriu-se, pois entendem que o presidente da República errou. Os participantes demonstram decepção e indignação diante do fato”, que “incomodou bastante os participantes”, diz o documento. Nesse contexto, toda a classe política perdeu crédito: entrevistados opinaram que há corrupção “em todos os níveis da política”.
Sem votos

Com IDP já patrocinado pela JBS, Gilmar vai julgar HC de Joesley Batista

 
Jornal GGN - O sistema eletrônico de sorteio do Supremo Tribunal Federal acabou escolhendo o ministro Gilmar Mendes para ser o relator de um recurso de Joesley Batista, preso preventivamente a pedido da Procuradoria Geral da República.
 
Gilmar é um crítico declarado do acordo de delação da JBS e já chegou a admitir que pode ter sido alvo de um dos grampos de Joesley Batista.
 
Porém, a universidade do ministro, o IDP, já recebeu milhões em patrocínios da JBS para eventos jurídicos, lembrou a Folha de S. Paulo desta sexta (22).
Média: 1 (1 voto)

CPMI convida Janot a explicar negociação de delação da JBS e convoca irmãos Batista

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN - A CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) da JBS aprovou o envio de um convite para o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot prestar esclarecimentos sobre a negociação do acordo de delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, sócios e proprietários da empresa.

O ex-braço direito de Janot, procurador Eduardo Pelella, também será convidado. Já os executivos da JBS serão intimados pela comissão, além do ex-presidente do BNDES, Luciano Coutinho, de policiais federais que atuaram na Operação Greenfiels, entre outras, e do ex-procurador Marcelo Miller e Angelo Vilella.

Essa semana, em entrevista ao Correio Braziliense, Janot apontou que a CPMI seria usada politicamente para atacar o Ministério Público e o melhor exemplo disso seria sua convocação.

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

Joesley pode ser processado junto com primeira denúncia de Temer


Foto: Reprodução
 
Jornal GGN - Se o dono da JBS, Joesley Batista, e o executivo da J&F, Ricardo Saud, perderem os benefícios do acordo de delação premiada, a Procuradoria-Geral da República (PGR) irá incluí-los em denúncias e devem ser processados. Uma delas é a própria peça contra o presidente Michel Temer, a primeira delas enviada à Câmara dos Deputados.
 
Na denúncia contra Temer por corrupção passiva, entregue por Janot à Câmara em julho deste ano, Joesley não podia ser incluído como alvo de acusação, uma vez que contava com a imunidade do acordo fechado com a força-tarefa da Operação Lava Jato.
 
Joesley seria apontado por Janot na primeira denúncia, que teve como uma das bases a gravação feita pelo empresário dono da JBS, de encontro que teve com Temer no Palácio do Jaburu. Aquele grampo teria sido feito antes de a JBS e o grupo J&F ter fechado a negociação de acordo com os investigadores e passarem a trabalhar de forma monitorada e controlada.
Média: 5 (1 voto)

Funaro diz que Temer, Cunha e Padilha usavam advogados para monitorar delação

Foto: Gustavo Miranda/Agência O Globo
 
 
Jornal GGN - O operador do PMDB Lúcio Funaro detalhou logo no primeiro anexo de seu acordo de delação premiada a suspeita de que o grupo de Michel Temer e Joesley Batista, da JBS, tinham um pacto para comprar seu silêncio. 
 
De acordo com o depoimento, o "Planalto", na verdade, vinha monitorando as conversas de Funaro com o Ministério Público através de advogados. Funaro afirma que o atual defensor e amigo de Temer, Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, seu antigo advogado, foi o responsável por vazar ao presidente a informação de que ele buscava um escritório especializado em delações.
Média: 5 (3 votos)

Especialistas acham que saída de Joesley será anular toda a delação, diz Mônica Bergamo

Foto: Agência O Globo

Jornal GGN - É destaque na coluna de Mônica Bergamo, nesta quarta (13), que uma das saídas para Joesley Batista diante da possibilidade de seu acordo de delação ser rescindido, viabilizando sua condenação e prisão, é partir para o "tudo ou nada" e tentar anular todos os efeitos da negociação. Isso seria uma medida mais drástica, uma vez que afetaria as provas apresentadas até agora, a maioria delas contra o governo Temer.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Áudios de Joesley desnudam o projeto de poder do Ministério Público Federal, por Ali Mazloum

do Consultor Jurídico

Áudios de Joesley desnudam o projeto de poder do Ministério Público Federal

por Ali Mazloum

Existe certo padrão na atuação dos operadores do Direito. Conhecê-lo tem sido crucial para a sobrevivência na carreira do magistrado que vela por sua imparcialidade.

O Ministério Público Federal não convive bem com a oposição de ideias, sendo este um padrão de todos conhecido. Contrariar suas pretensões persecutórias pode levar o opositor ao opróbrio. Daí a existência de tantos juízes, na verdade tartufos togados, que simplesmente preferem chancelar até os piores desatinos formulados pelo órgão acusador.

Têm sido cada vez mais frequentes, lamentavelmente, persecuções penais midiáticas, marcadas pela indigência probatória, mas cercadas do aplauso passadiço das ruas.

Leia mais »

Média: 5 (9 votos)

Folha bate em Cardozo com denúncia sem prova enquanto afaga o IDP de Gilmar

A reportagem tem 19 parágrafos, sendo que os repasses da JBS ao IDP de Gilmar Mendes ocupam 10 deles. Os outros 9 são destinados à acusação aparentemente frágil de Joesley Batista ao escritório de Marco Aurélio Carvalho, envolvendo um contrato assinado quando o advogado ainda não era sócio de José Eduardo Cardozo. Mas quem a Folha escolhe para emprestar o nome a um título explosivo? O ex-ministro da Justiça e advogado de Dilma Rousseff (PT)
 
 
Jornal GGN - A reportagem "Joesley diz que fez contrato fictício com sócio de Cardozo", publicada pela Folha de S. Paulo na tarde desta segunda-feira (11), é caso exemplar da seletividade da grande mídia. 
 
A reportagem tem 19 parágrafos, sendo que os repasses da JBS ao IDP de Gilmar Mendes ocupam 10 deles. Os outros 9 são destinados à acusação aparentemente frágil de Joesley Batista ao escritório de Marco Aurélio Carvalho, envolvendo um contrato assinado quando o advogado ainda não era sócio de José Eduardo Cardozo. Mas quem a Folha escolhe para emprestar o nome a um título explosivo? O ex-ministro da Justiça e advogado de Dilma Rousseff (PT).
 
Folha começou tratando do caso Gilmar nos parágrafos 5, 6 e 7, mas fazendo questão de esclarecer que, para a JBS, os patrocínios ao IDP é uma questão completamente legal. 
Média: 3.8 (8 votos)

Justiça de Brasília submete acordo de leniência da J&F à vontade de Janot


Foto: Reprodução
 
Jornal GGN - Ainda que sob riscos, a Justiça Federal de Brasília já homologou o acordo de leniência do grupo J&F em colaboração com o Ministério Público Federal. Mas na decisão, assinada na última sexta-feira (08), o juiz Vallisney de Souza Oliveira alertou que o acordo poderá ter validade questionada.
 
A decisão 10ª Vara da Justiça do Distrito Federal foi de condicionar o acordo de leniência às decisões tomadas pela Procuradoria-Geral da República e pelo Supremo Tribunal Federal (STF) sobre as delações premiadas já fechadas com os donos da JBS, os irmãos Batista, e executivos do grupo, como Ricardo Saud.
 
No acordo, a J&F se comprometeu a pagar uma multa de R$ 10,3 bilhões por um período de 25 anos, sendo os beneficiários "entidades e órgãos públicos lesados" e "projetos sociais". Por se tratar de pessoa jurídica, o acordo é independente do já fechado em termos de delações premiadas com os empresários e executivos.
Sem votos

Janot vê suspeita em envio de gravação de Cardozo ao exterior por Joesley

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - Um dos argumentos usados por Rodrigo Janot para pedir a prisão de Joesley Batista, Ricardo Saud e Marcelo Miller, envolvidos no escândalo da delação da JBS, foram os índicios de que a gravação feita com o ex-ministro José Eduardo Cardozo não só foi omitida como enviada ao exterior para não ser encontrada pelas autoridades locais.
 
Segundo Janot, é suspeito o relato de que Marcelo Miller teria "brigado" com Ricardo Saud após ficar sabendo da gravação de Cardozo. O ex-procurador, acusado de ter praticado ilicitudes no acordo de delação da JBS, teria avisado que o áudio 'daria cadeia" e que faria a Procuradoria "ir para cima" de Saud e de Cardozo.
Média: 5 (1 voto)

Só a conversa de bêbado salva o Brasil, por Xico Sá

Áudios das conversas de Joesley Batista
Foto: JOÉDSON ALVES EFE

Enviado por Gilberto Cruvinel

Por Xico Sá

Na vida pública ou privada, nos negócios ou no amor, nada como o sincericídio para resolver a história

do El País

O Joesley falou para não levar em conta sua conversa com o caro amigo Ricardinho. Conversa de bêbado, disse o açougueiro viciado em comprar arrobas de autoridades no pasto seco de Brasília. Como não levar a sério uma prosa bêbada, colega, seria o mesmo que jogar fora toda a sabedoria de Freud sobre o inconsciente e seus labirintos. Um bêbado com direito às benesses da delação premiada, então, nem se fala. Tem mais crédito ainda no mercado. Mesmo bebendo seu uísque com um axé ao fundo. 

Nada contra o axé da Ivete, Joesley, é que prefiro os bêbados mais tristes, são mais confiáveis, os bêbados que afogam as mágoas com um brega do José Ribeiro ou uma moda sofrida de Tião Carreiro e Pardinho. Também soaria supimpa e irônica, no quase monólogo do rapaz da Friboi, uma trilha de ópera buffa ou um rock-sacanagem do grupo Velhas Virgens.

Leia mais »

Média: 4.8 (14 votos)