Revista GGN

Assine

JBS

Caso de Lula na JBS sai das mãos de Sérgio Moro e é remetido à Brasília


Foto: Filipe Araújo - Fotos Públicas
 
Jornal GGN - O caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre as acusações da JBS foi considerado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) alheio à Operação Lava Jato. Por isso, a Segunda Turma do Supremo tirou o caso das mãos do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, e encaminhou à Justiça do Distrito Federal.
 
Dessa forma, o juiz de Curitiba Sérgio Moro não poderá utilizar ou considerar na tramitação dos processos contra Lula quaisquer fatos relacionados às acusações dos irmãos Batista e dos executivos do frigorífico.
 
A resposta foi uma vitória dos advogados de Lula e também da defesa do ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, também alvo das acusações e que teve o seu caso, junto com o de Lula, remetidos à Brasília. Ambos foram citados pelo dono da JBS, Joesley Batista, e por Ricardo Saud, diretor de relações institucionais do grupo.
Média: 3 (7 votos)

Sob ameaças de arrolar BNDES em crimes, JBS deve ser alvo de processos do banco


Foto: Reprodução
 
Jornal GGN - Em ações que devem desvalorizar a imagem do principal delator de Michel Temer, Joesley Batista é alvo de uma tentativa de ação movida pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), em plenas acusações de que a JBS escondeu crimes praticados pelo banco público federal.
 
Um dos braços de participações do banco, o BNDESPar pedirá por assembleia de acionistas a abertura de um processo por responsabilidade civil contra controladores e ex-administradores da companhia por supostos danos causados "em razão dos atos ilícitos confessados" em delação premiada.
 
A reunião será realizada no dia 1º de setembro, envolvendo os acionistas, incluindo o BDNESPar, que é o maior minoritário da empresa, com 21,3% das participações no banco público. Os alvos da ação seriam, além do dono da JBS, Joesley Batista, também Florisvaldo Caetano de Oliveira e Francisco de Assis e Silva.
Média: 3.7 (3 votos)

Procurador diz que delação da JBS contra Dilma e Lula é "incomprovável"

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - Em entrevista ao UOL, o procurador Ivan Cláudio Marx, que cuida do inquérito contra Lula e Dilma por causa da delação de Joesley Batista, da JBS, praticamente deu 3 motivos para o caso ser encerrado.
 
Em troca de imunidade penal, Joesley afirmou à Procuradoria da República que mantinha no exterior duas contas criadas ao longo dos governos Lula e Dilma, onde chegou a acumular 150 milhões de dólares.
Média: 4.3 (6 votos)

Temer espera que Dodge faça auditoria nas ações de Janot, por Kennedy Alencar

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - O encontro com Raquel Dodge e Michel Temer às 22h de terça-feira (8) pode ter tido como uma das pautas uma eventual auditoria informal nas ações de Rodrigo Janot. Segundo Kennedy Alencar, o presidente espera que Dodge reveja as ações do antecessor, mas ainda não há previsão de como ela deve reagir no cargo. Nesta quarta, a procuradora disse que a agenda com o peemedebista tinha como objeto a posse na Procuradoria Geral da República.
Média: 3.4 (5 votos)

Meirelles e Alckmin podem disputar voto da centro-direita em 2018

Foto: Ciete Silvério/ASCOM

Jornal GGN - Michel Temer acredita que a economia vai dar uma guinada no próximo ano e quer um candidato a presidente da República para chamar de seu. O escolhido seria o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, incumbido de "defender o legado" do governo Temer junto ao eleitorado de centro-direita. Ele disputaria os votos de Geraldo Alckmin (PSDB), que articulou o fim da aliança entre PSDB com Temer.

Leia mais »

Média: 1 (4 votos)

Temer tem usado Gilmar Mendes como estrategista contra Janot

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - Um dos verdadeiros motivos do encontro fora da agenda oficial entre Michel Temer e Gilmar Mendes, no último domingo (6), foi revelado nesta terça (8): o ministro do Supremo Tribunal Federal tem ajudado o presidente da República a criar uma estratégia para se livrar das denúncias feitas por Rodrigo Janot a reboque da delação da JBS.
 
Segundo informações da Folha, Temer "tem tratado do tema com integrantes de sua defesa e discutiu o assunto (...) com o ministro do STF Gilmar Mendes, em jantar no domingo (6)".
 
À imprensa, Gilmar mandou dizer que o encontro tinha como objetivo discutir a reforma política. A desculpa é recorrentemente utilizada pelo ministro sempre que precisa entrar no Palácio do Jaburu.
Média: 2.8 (6 votos)

"Aécio vai ser o Cunha do governo Temer", diz Marcelo Nobre

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - Inviabilizado pela Lava Jato, principalmente após o escândalo da JBS, Aécio Neves virou o principal operador do governo Michel Temer. A rejeição da denúncia contra o presidente na Câmara é só o resultado das articulações do grupo liderado pelo tucano para formar um novo centrão, que dará sustentação a Temer até o final de seu mandato. Em troca, esses políticos conseguirão recursos do governo que serão vitais para a disputa eleitoral de 2018, preenchendo a lacuna deixada pelo financiamento empresarial.
Média: 3.2 (5 votos)

Janot dá lição à Folha sobre perícia em áudio da JBS contra Temer

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN - O procurador-geral da República Rodrigo Janot travou um embate com a reportagem da Folha por causa do aúdio de Joesley Batista, da JBS, contra Michel Temer. Quando o material em que o presidente possivelmente aparece dando aval à compra do silêncio de Eduardo Cunha veio à tona, Folha ajudou o Planalto a construir uma defesa questionando a validade do áudio por meio de uma perícia independente. Janot, em entrevista publicada nesta segunda (7), ridicularizou o tratamento dado pelo jornal ao assunto.

Leia mais »

Média: 3.7 (10 votos)

Com fim da era Aécio e Temer, sem saída, revista detalha propinas

Reportagem de Época insere-se no contexto de mudança drástica de editoriais da imprensa em ritmo de sobrevivência e adaptação, com os inegáveis esquemas envolvendo PMDB e PSDB
 
 
Jornal GGN - O primo de Aécio Neves (PSDB-MG), Frederico Pacheco, foi a ponte usada pelo senador para retirar R$ 2 milhões ilícitos acordados com o dono da JBS, Joesley Batista. Em ação similar também foi a entrega de outros R$ 500 mil destinados ao presidente Michel Temer, por meio do ex-assessor Rodrigo Rocha Loures. A mala preta com rodinhas deste último e a de Fred, como é chamado o empresário e familiar de Aécio, contendo a segunda parcela de R$ 500 mil ao tucano foram registradas por fotografias da Polícia Federal, após as apreensões.
 
Ambas as entregas foram realizadas em ações controladas pelos delegados da PF, com o aval do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin. Apesar de algumas imagens das mochilas contendo notas de R$ 50 e R$ 100 já terem sido divulgadas, pelos relatórios das investigações e à imprensa, a revista Época publicou novas fotografias, nesta sexta (04).

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Hoje meu coração sangrou de novo lembrando como a vida é injusta, diz filha de Genoíno

Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo

Por Miruna Kayano

No Facebook

Há quase 4 anos essa foto foi tirada. 15 de novembro de 2013, meu pai na Polícia Federal. De lá para cá, morando em São Paulo, obviamente vi a sede da PF várias vezes, mas nunca tinha ido para lá de novo... hoje tive que ir. Eu estava mentalizando isso há tempos, desde que não consegui outro lugar para agendar o passaporte, mas mesmo assim, foi muito, muito duro. Eu cheguei lá, com a Paulinha na mão, e na hora que olhei para aquela escada eu só pensava no meu pai, nessa imagem, nele do lado de lá da grade e eu do lado de fora, na calçada. Eu fiquei muito angustiada achando que não ia conseguir nem andar, parecia que eu não podia nem respirar. Mas e a minha filha?

Leia mais »

Média: 4.7 (35 votos)

Temer mostrou que é profissional em "administrar a cizânia", por Maria Cristina Fernandes

Foto: Lula Marques
 
 
Jornal GGN - Michel Temer soube como tirar proveito da divisão das instituições e da classe política para enterrar a denúncia por corrupção passiva, feita a reboque da delação da JBS. Em artigo no Valor, nesta quinta (3), day after da votação, Maria Cristina Fernandes mostra que Temer administrou a discórdia em vários campos e, onde havia divisão que não interessava ao governo, tratou de criar uma aparente unidade. É o caso dos órgãos de transparência que podiam aumentar o combustível da Lava Jato cobrando um recall de várias empreiteiras. Nada disso saiu do papel.
 
Enquanto isso, Temer ajudou a implodir a Lava Jato aos poucos reforçando as desavenças entre o Ministério Público e a Polícia Federal. Também contou com as divisões internas no PT e PSDB para ver a denúncia enterrada na Câmara.
 
"É essa capacidade do presidente da República de administrar a cizânia das instituições de controle em seu benefício e de seus aliados que atrai parlamentares alvejados como Aécio Neves", pontuou Fernandes. "(...) todos permanecem abrigados à sombra do Planalto enquanto autoridades econômicas, sob o aplauso dos camarotes e a inércia da arquibancada, fingirem desconhecer o cofre arrombado. Temer sobrevive como o presidente que pairou sobre as cizânias e inscreveu as pedaladas fiscais na história como um crime de amadores."
Leia mais »
Média: 3.7 (7 votos)

Janot põe em prática estratégia para denunciar Temer de novo

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - O procurador-geral da República Rodrigo Janot já colocou em prática a estratégia para denunciar Michel Temer por obstrução de Justiça, pois o braço do inquérito em que o presidente é acusado de dar aval à compra do silêncio de Eduardo Cunha está mais adiantado.
 
Ontem, enquanto a Câmara barrava a denúncia contra Temer por corrupção passiva, Janot encaminhava no Supremo Tribunal Federal a separação da investigação por obstrução de outro braço do inquérito, sobre organização criminosa (PMDB na Câmara).
Média: 2.7 (7 votos)

Deputado pede que Meirelles seja investigado pelo recebimento "irregular" de R$ 50 milhões

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - O líder do PT na Câmara Carlos Zarattini aproveitou o discurso no plenário nesta quarta (2), dia em que a denúncia contra Michel Temer será votada, para cobrar explicações de Henrique Meirelles sobre o recebimento de R$ 217 milhões por sua empresa de consultoria a megaempresas, incluindo a holding da JBS. 
 
Reportagem do BuzzFeed mostrou que Meirelles, poucos meses antes de ser nomeado ministro da Fazenda do governo Temer, recebeu boa parte dos lucros da consultoria em uma conta no exterior. Outros R$ 50 milhões foram pagos quando ele já era titular da Pasta. Isso, na visão de Zarattini, é "irregular".
Média: 5 (4 votos)

Câmara retoma votação da denúncia contra Temer em clima de tensão

 
Jornal GGN - A Câmara retomou a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva por volta das 15h desta quarta-feira (02). Foi preciso recuperar a contagem de votos suficientes para o quorum necessário de 342 deputados, porque a primeira sessão foi encerrada, após cerca de cinco horas de debates e discussões. 
 
Ainda na reabertura da sessão, o cenário apertou para o presidente, com a contagem de apenas 270 presentes no plenário. Uma nova pressão foi necessária para os 456 deputados que estavam na Casa, mas não na sala principal da Câmara. Pouco menos de 20 minutos, e o quórum foi recuperado.
 
Os parlamentares iniciaram a segunda etapa com mais debates, desta vez, sobre como se daria a votação. Partidos estabeleceram que eram preciso dois deputados falarem a favor e outros dois contra. O clima de tensão teve início quando o deputado Wladimir Costa (Solidariedade -PA), do lado governista, chamou o PT de "organização criminosa" e de "imoral". 
Média: 5 (1 voto)

Perto de atingir quórum, Câmara ainda discute emenda e recorre ao STF

Foto: Agência Câmara
 
 
Jornal GGN - Pouco depois das 12h desta quarta (2), o painel da Câmara já registrava que um número bem próximo ao necessário para ter início a votação da denúncia contra Michel Temer. Segundo dado da Folha, 314 deputados registraram presença, ou seja, faltam 28 parlamentares. Alguns já estão no plenário sem terem feito o registro.
 
O jornal afirmou ter flagrado deputados ditos "indecisos" cobrando a liberação de emendas do governo Temer. "O ministro tucano Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e o deputado Beto Mansur (PRB-SP) foram vistos pela Folha com uma lista de emendas que, segundo a reportagem apurou, já foram liberadas aos parlamentares."
Média: 3 (2 votos)