Revista GGN

Assine

desobediência

Por resultado apertado, STF abre as portas para Senado salvar Aécio Neves

Senador afastado Aécio Neves é acusado de ter cometido os crimes de corrupção passiva e tentativa de obstruir a Justiça
Foto: Pedro França/Agência Senado
 
Jornal GGN - Por um resultado apertado, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na noite de ontem (11) que deputados e senadores têm a última palavra sobre a competência de medidas cautelares do Judiciário que implicam em mandatos de parlamentares em suas funções legislativas. É o caso de Aécio Neves (PSDB-MG), que foi afastado pela Suprema Corte. A definição de 6 votos a 5 deve motivar argumentos de senadores aliados a Aécio e da bancada governista a barrar o afastamento.
 
Aécio recorreu da decisão tomada na última semana de setembro pela Primeira Turma do Supremo, que o afastou de suas funções como senador por 3 votos a 2, além de ter decidido por seu recolhimento noturno. Com o recurso, o Plenário definiria não somente o caso do tucano, mas também os limites do Congresso sobre punições penais do Supremo contra parlamentares. 
 
A primeira definição da Turma havia gerado indignações por parte de alguns senadores, sobretudo do PMDB e do PSDB, que acreditam que é o Legislativo o responsável por definir sobre afastamentos de deputados e senadores. O Senado já havia marcado para o próximo dia 17 de outubro a análise se irá ou não confirmar o afastamento de Aécio, esperando a resposta do Supremo de ontem. O resultado apertado deve gerar embates e a Casa deve desobedecer a determinação da Turma.
Média: 5 (2 votos)

Prisão de Boulos "criminaliza a defesa dos direitos sociais", diz Dilma

Jornal GGN - A ex-presidente Dilma Rousseff emitiu uma nota em solidariedade ao líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto), Guilherme Boulos, que foi preso na manhã desta terça-feira (17) pela Polícia Militar de São Paulo, durante uma ação de reintegração de posse. Boulos, ao lado de outras pessoas, tentavam negociar uma saída pacífica para que 700 famílias desocupassem uma área reclamada pelo governo Alckmin em São Mateus, quando acabou sendo detido sob a acusação de obstrução de justiça, desobediência civil e incitação à violência contra policiais.

Leia mais »

Média: 4.2 (5 votos)

MTST confirma prisão de Guilherme Boulos pela Polícia de Alckmin

Foto: Jorge Ferreira/Mídia Ninja

Jornal GGN - A Polícia Militar de São Paulo prendeu o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto Guilherme Boulos, na manhã desta terça-feira (17). Boulos acompanhava uma reintegração de posse em São Mateus quando a PM o deteve sob a acusação de desobediência civil. A informação foi confirmada pelo MTST nas redes sociais.

Leia mais »

Média: 3.7 (6 votos)