Revista GGN

Assine

COB

Negado pedido de habeas corpus de Nuzman

Jornal GGN – A Primeira Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), por decisão do desembargador federal Abel Gomes, negou pedido de habeas corpus ao ex-presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB) Carlos Arthur Nuzman, que foi preso na Operação Unfair Play.

O pedido foi feito pelos advogados, que pretendiam revogar as determinações da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. A primeira instância decretou prisão temporária, convertida depois em preventiva, além de ordenar busca e apreensão na casa de Nuzman, determinando bloqueio de bens e apreensão de passaporte. As medidas foram tomadas em atendimento a acordo de cooperação jurídica internacional com o governo francês.

Leia mais »

Média: 1 (2 votos)

Presidente do Comitê Olímpico "azeitava" as relações de Cabral com dirigentes internacionais

Foto: Fotos Públicas
 
 
Jornal GGN - A Operação Unfair Play, composta por procuradores que atuam na Lava Jato do Rio de Janeira, prendeu o presidente do Comitê Olímpico do Brasil, Carlos Arthur Nuzman, e seu braço direito Leonardo Gryner, nesta quinta (5). 
 
Segundo os procuradores Nuzman e seu subordinado eram os responsáveis por "azeitar" as relações de Sergio Cabral com dirigentes internacionais. 
 
“Carlos Nuzman e Leonardo Gryner foram os agentes responsáveis por unir pontas interessadas, fazer os contatos e azeitar as relações para organizar o mecanismo do repasse de propinas de Sérgio Cabral diretamente a membros africanos do COI (Comitê Olímpico Internacional), o que foi efetivamente feito por meio de Arthur Soares (o “Rei Arthur”)”, afirmou a Procuradoria.
Sem votos

Investigadores franceses levantam provas para Lava Jato investigar Olimpíadas do Rio


O presidente do Comitê Organizador Rio-2016 e do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman - Foto: Reuters
 
Jornal GGN - A Polícia Federal cumpre na manhã desta terça-feira (05) dois mandados de prisão preventiva e outros 11 de busca e apreensão. O caso é uma nova fase da Lava Jato no Rio de Janeiro, denominada Operação "Unfair Play", mas tem como base a investigação internacional do Ministério Público das Finanças francês sobre corrupção envolvendo campeonatos de futebol.
 
A frente investiga esquema de corrupção envolvendo a compra de votos para a eleição da cidade sede da Olimpíadas de 2016 e ainda o pagamento de subornos para a contratação de empresas terceirizadas pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, a vencedora.
 
Uma das miras já conhecidas é o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, que teve a sua casa alvo de buscas e apreensões ainda por volta das 6h desta terça. Ele também será intimado a depor e a sede da COB, no Rio, também foi ocupada pelos agentes na manhã de hoje.
Média: 2 (8 votos)