Revista GGN

Assine

Religião e Tolerância

Estudando apometria com um preto-velho: Parte 2, por Marcos Villas Boas

Estudando apometria com um preto-velho: Parte 2

por Marcos Villas Boas

No texto anterior, iniciamos uma análise das leis da apometria com base na obra precursora no Brasil intitulada “Espírito / Matéria: novos horizontes para a Medicina”, do médico José Lacerda de Azevedo, mas com comentários do Pai Joaquim de Aruanda realizados num diálogo entre ele e Jefferson Viscardi em 2013, cujo vídeo segue abaixo:

Leia mais »

Média: 4.1 (11 votos)

Ubatuba: Ato une religiões e resgata história da ‘Igreja dos escravos’

do InforMar Ubatuba

'PRAÇA DA PAZ' - Ato une religiões e resgata história da ‘Igreja dos escravos’

Fotos de Renata Takahashi

No século retrasado os negros eram impedidos de frequentar a mesma igreja que os brancos. Os senhores de Ubatuba iam à Matriz. A igreja da irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, em frente à praia do Cruzeiro, era o lugar onde os negros podiam expressar sua espiritualidade.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

O Espiritismo e a Umbanda existem para desenvolver médiuns?, por Jefferson Viscardi

O Espiritismo e a Umbanda existem para desenvolver médiuns?

por Jefferson Viscardi

Resposta de Jefferson Viscardi* a um pedido de esclarecimento.

Buscador: Eu quero desenvolver minha mediunidade porque eu sei que tenho a capacidade de aprender mais e mais com as entidades e também porque Padilha e Tranca Ruas já me ajudaram muito e eu quero em troca ajudar as pessoas. Quero mostrar que a Umbanda é bonita e o terreiro é humilde. Quero colocar as pessoas no caminho certo! O que devo fazer?

Jefferson Viscardi: Há tanto que eu gostaria de falar a esse respeito, mas acredito que não é o momento. Nossos sentimentos ainda estão muito destreinados para olhar a realidade sem as cores, odores e sons fabulosos que nossa mente faz crer existirem ao ego. Se o fizesse, correria o risco de ativar gatilhos condicionados que em troca me valeriam mais indisposição de quem lê do que amizade. E essa deixaria de ser uma comunicação harmoniosa.

Leia mais »

Média: 3.5 (11 votos)

Todos somos macumbeiros, por Marcos Villas Boas

Todos somos macumbeiros

por Marcos Villas Boas

Numa mesma cidade, ou até num mesmo bairro, é possível encontrar palavras aplicadas de modo bem distinto. Tudo depende do significado que se atribua a ela, normalmente definido pela experiência que cada um tem com o objeto ao qual a palavra se refere ou por uma mera criação comunicacional das pessoas, não pautada na experiência.

Toda palavra pode ganhar diferentes significados a depender do contexto. Esse é o aspecto pragmático da língua: a formação dos sentidos associados a uma palavra escrita ou falada (ou mímica) em decorrência do uso entre dois ou mais sujeitos.

Leia mais »

Média: 4.4 (7 votos)