Revista GGN

Assine

Religião

Lista de Livros: Bíblia Sagrada – Livros Sapienciais: Jó

Seleção de Doney

Lista de Livros: Bíblia Sagrada – Livros Sapienciais: Jó

Editora: Paulus

ISBN: Bíblia do Peregrino (BPe) – 978-85-349-2005-6 / Bíblia de Jerusalém (BJ) – 978-85-349-4282-9 / Bíblia Pastoral (BPa) 978-85-349-0228-1

Tradução, introdução e notas (BPa): Ivo Storniolo e Euclides Martins Balancin

Tradução (BPe): Ivo Storniolo e José Bortolini

Notas (BPe): Luís Alonso Schökel

Opinião: N/A

Páginas: BPe – 88 / BJ – 60 / BPa – 31

     “Certo dia, os filhos e filhas de Jó comiam e bebiam na casa do irmão mais velho. Um mensageiro chegou à casa de Jó e lhe disse: “Os bois estavam arando e as mulas pastando perto deles. Os sabeus caíram sobre eles, mataram os empregados a fio de espada e levaram o rebanho. Só eu escapei para lhe contar o que aconteceu”.

     Mal acabara de falar, quando chegou outro e disse: “Caiu um raio do céu e queimou e consumiu suas ovelhas e pastores. Só eu escapei para lhe contar o que aconteceu”.

     Mal acabara de falar, quando chegou outro e disse: “Um bando de caldeus, dividido em três grupos, caiu sobre os camelos e os levou embora, depois de matar os empregados a fio de espada. Só eu escapei para lhe contar o que aconteceu”.

     Mal acabara de falar, quando chegou outro e disse: “Seus filhos e filhas estavam comendo e bebendo na casa do irmão mais velho, quando um furacão veio do deserto, atingindo a casa pelos quatro lados, e ela desabou sobre os jovens e os matou. Só eu escapei para lhe contar o que aconteceu”.

     Então Jó se levantou, rasgou a roupa, rapou a cabeça, caiu por terra, e disse: “Nu eu saí do ventre de minha mãe, e nu para ele voltarei. Javé me deu tudo e Javé tudo me tirou. Bendito seja o nome de Javé!”

Leia mais »

Média: 2.3 (3 votos)

Meu pai Oxalá é o rei, venha me valer, por Matê da Luz

Meu pai Oxalá é o rei, venha me valer

por Matê da Luz

Começa Agosto - o mês do desgosto para tantos, tempo de expurgar para então curar, para outros. Eu, se você acompanha as postagens por aqui, sabe que me enquadro no segundo time. Desgosto, à propósito, não tem mais espaço no meu coraçãozinho. 

Pesquisando aqui (usei até a Barsa, antiquíssima mas que enfeita as prateleiras aqui em casa!) pra entender de onde vem esta má fama que acompanha Agosto.

De acontecimentos históricos infelizes às crendices católicas que dão conta que, durante o mês de Agosto, em determinada época, uma horripilante criatura pairava sobre os céus cuspindo fogo e dizimando populações; em outros tempos, o mês é associado ao martírio de São Bartolomeu, cuja morte foi terrível; e, ainda, segundo a Bíblia, é nesta época do ano que acontece a abertura do inferno por Pedro.  Leia mais »

Média: 3.4 (7 votos)

Pseudociência espírita no século XXI, por Valério Andrade Melo

Pseudociência espírita no século XXI

por Valério Andrade Melo

A tônica do cruzamento entre espiritismo e ciência, em período mais recente, está voltada para as múltiplas faces da regressão, reencarnação e vidas passadas e também da crítica aos paradigmas da ciência convencional, nutrindo-se de argumentos oriundos do campo semântico da “complexidade”, das organizações emergentes, do “holismo” new age como visão de mundo alternativa, áreas permeadas de um esoterismo pós-moderno de forte popularidade entre cientistas dissidentes e setores periféricos do mundo acadêmico.[1]

Publicada há 11 anos, esta é uma síntese do discurso da série sobre crenças-dogmas do kardecismo neste GGN. Detalhes dessas postagens serão desconsiderados porque “cirurgia espiritual” e outras blasfêmias contra a Ciência não merecem atenção. Se merecessem os onco, cardio, neurologistas e, principalmente os ortopedistas, seriam totalmente dispensáveis.

Leia mais »

Média: 3.7 (27 votos)

Um dia com o Dr. Adolph Fritz: a mediunidade de cura, por Marcos Villas-Bôas

Um dia com o Dr. Adolph Fritz: a mediunidade de cura

por Marcos Villas-Bôas

No ótimo livro intitulado “Cirurgias Espirituais: por um médium do Dr. Fritz”, Roberto Barbosa conta uma fantástica história sobre o desenvolvimento da sua mediunidade e a sua relação, que vem de vida passada, com o Espírito conhecido por “Dr. Fritz”, quem trabalhou inicialmente com o seu primo, Alexsandro, e mais tarde, no início de 2004, passou a operar por meio dele próprio.

O trabalho de médium de cirurgiões espirituais já vinha sendo realizado por Roberto antes mesmo de 2004. Começou em Maranguape/CE e depois passou a ficar sediado na Casa da Caridade, em Fortaleza/CE, que passou a se chamar “Casa da Caridade Dr. Adolph Fritz”, no ano de 2009. Durante todo esse tempo, Roberto e seus colegas também fizeram viagens a outras cidades e estados para levar esse belíssimo trabalho às pessoas que necessitam da cura espiritual.

Leia mais »

Média: 2.8 (11 votos)

Mais de 30 mil muçulmanos se reúnem na Inglaterra e fazem apelo à paz

Grupo liderado por Hazrat Ahmad promove a religião Islã lutando contra toda forma de terrorismo 
 
Líder internacional da Comunidade Ahmadi, Hazrat Mirza Masroor Ahmad
 
Jornal GGN - Muçulmanos se reuniram neste final de semana em Hampshire, Inglaterra, em uma convenção com o propósito de promover a religião Islã, fazendo um apelo à paz e condenando toda e qualquer forma de terrorismo.O encontro chamado Jalsa Salana começou na sexta-feira (28) e termina no domingo (30). Neste sábado o evento será dedicado às mulheres muçulmanas.
 
Segundo informações da Agência EFE, cerca de 30 mil religiosos de 100 países se reuniram na cidade que fica no Sudeste da Inglaterra desde sexta-feira (28) para as atividades do Jalsa Salana. O evento, considerada a maior convenção islâmica feita no Reino Unido, é organizado pelo líder internacional da Comunidade Ahmadi, Hazrat Mirza Masroor Ahmad.
 
"Recentemente, organizações terroristas começaram a cometer as atrocidades mais bárbaras em países ocidentais, sugando a vida de inocentes", indicou Ahmad antes do início do encontro.
 
"Os terroristas não têm conhecimento do Islã pois, caso contrário, se dariam conta de que o profeta proíbe o assassinato de inocentes sob quaisquer circunstâncias, inclusive durante um estado de guerra," completou.
Leia mais »
Média: 4 (4 votos)

Tratamento das obsessões espirituais: salvando vidas, por Marcos Villas-Bôas

Tratamento das obsessões espirituais: salvando vidas

por Marcos Villas-Bôas

Em texto anterior, mencionamos que, segundo O Livro dos Médiuns, de Allan Kardec, e de acordo com inúmeras obras psicografadas, assim como diálogos com Espíritos, por médiuns, gravados em vídeo; todos os seres humanos são médiuns e, portanto, influenciados pelos Espíritos. Segue o link para o texto: http://jornalggn.com.br/noticia/todos-os-humanos-sao-mediuns-e-interagem-com-os-espiritos-por-marcos-villas-boas.

Em muitos casos, por haver essa possibilidade de influenciar os seres humanos, os Espíritos se ligam a eles com determinados fins, mas terminam os prejudicando, pois, mesmo que não tenham um objetivo mau, sua energia termina causando repercussões na psique do encarnados por questões de vibração magnética.  

Leia mais »

Média: 3 (5 votos)

Justiça impõe regras para cultos de Candomblé em MG

Caso as normas não sejam cumpridas, o terreiro está sujeito a multa diária de R$ 100 / Tânia Rego/Agência Brasil

do Brasil de Fato

Luta por democracia e axé: Justiça impõe regras para cultos de Candomblé em MG

Em Santa Luzia, região metropolitana de BH, Justiça dita dia e horário para a realização de cultos em terreiro

por Raíssa Lopes

Representantes e praticantes das religiões de matriz africana realizaram um protesto, na terça (18), contra a intolerância religiosa. Vestidos de branco, eles se posicionaram em frente ao Ministério Público e pediram por respeito às tradições da cultura afro-brasileira.

O caso que culminou na manifestação diz respeito a uma imposição da Justiça de Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que estipula dia, horário e como devem ser realizados os cultos em um terreiro de Candomblé da cidade.

Leia mais »
Média: 5 (2 votos)

Segunda-feira, dia de Exu - mas também de Obaluaê e Omulu, por Matê da Luz

Segunda-feira, dia de Exu - mas também de Obaluaê e Omulu

por Matê da Luz

O slowliving o qual me propus ao mudar de cidade – de São Paulo para Ubatuba – tem sido pauta recorrente na vida rotineira. Em conteúdos já compartilhados por aqui, falei do tempo como orixá e do quão relevante é a entrega aos processos naturais, mantendo a atenção e a ligação com aquilo sobre o que não existe controle. Pois bem, eis que a temática desenrolou e, agora, as feridas começam a expurgar as dores, num processo de limpeza que também não tenho como escapar.

Esta mudança, a de cidade, tem enorme relação com minha situação contextual em SP e anda tão intimamente ligada aos processos profundos de uma busca que deseja nada mais nada menos do que a cura. Do ponto de vista geral, o “não ter do que reclamar” segue na contramão do que borbulha internamente e, então, trocar a velocidade insana da cidade grande pelo slow mood de uma cidade litorânea – a maresia impacta, acredite! – floresceu o espaço necessário para olhar e cuidar, com atenção, praquilo que estava cansado de ser engolido durante a rotina. Questões especialmente particulares, daquelas que a gente não sai compartilhando por aí e que sequer a terapia convencional dá conta de analisar, porque simplesmente não se trata de análise: o racional, em alguns casos, necessita de pausa para que os processos emocionais sejam limpos e a paz, enfim, resgatada.

Leia mais »

Média: 3.7 (18 votos)

Espiritismo, Umbanda e Projeção Astral são complementares, por Marcos Villas-Bôas

Espiritismo, Umbanda e Projeção Astral são complementares

por Marcos Villas-Bôas

Como já mencionamos tantas vezes neste blog, o objetivo de Allan Kardec não era criar uma nova religião com características semelhantes às das outras, mas, na verdade, unificar as religiões – ou, ao menos, uma parte do pensamento religioso – por meio do conhecimento científico-filosófico do Espiritismo. O seu fim religioso era o de religar racionalmente o homem ao divino.

Sobre o tema acima, vide, por exemplo, o texto no qual brevemente resumimos a biografia desse grande pensador e educador: http://jornalggn.com.br/noticia/quem-foi-allan-kardec-o-descobridor-da-ciencia-espirita-por-marcos-villas-boas.

Em outro texto, foi discutida uma entrevista realizada por Jefferson Viscardi com o Espírito Miramez, por uma médium de psicofonia, dentro do ótimo programa Diálogo com os Espíritos, na qual o entrevistado dizia que, para os Espíritos do bem, não interessa a religião de cada encarnado, não interessa o tipo de culto etc., mas tão somente ajudar o próximo e realizar os fins divinos em geral. Segue o link para o texto: http://jornalggn.com.br/noticia/dialogo-com-o-espirito-miramez-gravado-em-video-por-marcos-villas-boas.

Leia mais »

Média: 2.3 (9 votos)

Ê, pombogira, ê pombogira, leva as quizilas dessa casa pro lado de lá... , por Matê da Luz

Ê, pombogira, ê pombogira, leva as quizilas dessa casa pro lado de lá...

por Matê da Luz

Dia desses encontrei um link no Facebook que dava conta de levar pra uma matéria falando sobre as Pombagiras. Antes de mais nada, registro oficialmente e por escrito que prefiro o termo Pombogira, mesmo que ambas as versões estejam corretas: caso é que sempre me vem à cabeça a imagem de uma pombinha rodando e ai, isso é um pouco desesperador. Enfim, preferências pessoais.

Daí que a pauta descrevia as entidades de uma forma tão, mas tão esquisita que não consegui deixar de entrar no famigerado embate nos comentários, esta que é uma atividade sobre a qual mantenho compromisso forte no sentido de manter distância, realizando a manutenção da sanidade mental desta que vos escreve. Acontece que a baboseira era tanta que, nossa, não rolou – sou macumbeira, passei pela umbanda e hoje me desenvolvo no candomblé e, portanto, fico possessa quando percebo a religião sendo difamada especialmente quando a intenção não é essa.

Leia mais »
Média: 2.8 (4 votos)

Espiritismo, Marxismo e Psicanálise – e a complexidade do real, por Dora Incontri

Espiritismo, Marxismo e Psicanálise – e a complexidade do real

por Dora Incontri

Três modelos teóricos de interpretação de mundo, de visão do ser humano e de ação prática nasceram no século XIX. Os três se autodenominavam científicos. Os três pretendiam desvendar aspectos de certa maneira até então desconhecidos ou desconsiderados, que melhor explicariam o comportamento humano, individual e coletivamente.

E as três correntes ainda hoje não são consideradas científicas pela ortodoxia da ciência, dita mainstream. Mas o marxismo e a psicanálise pelo menos têm espaços largos em universidades e inúmeros pesquisadores e intelectuais desdobraram seus pressupostos; já o espiritismo, por mexer com paradigmas talvez mais cristalizados, com preconceitos muito arraigados e, sobretudo, por ferir interesses muito estabelecidos (ao mesmo tempo do materialismo e das religiões institucionais, com seus mistérios), e também talvez por ter se popularizado como uma forma de religião –  é o que mais sofre ostracismo e silenciamento – apesar de ser talvez das três propostas, a que coleciona maior número de evidências de pesquisa, que corroboram seu modelo explicativo.

Leia mais »

Média: 3.4 (28 votos)

Matê da Luz: Mudanças, transformações e laroyê, Exu

Matê da Luz: Mudanças, transformações e laroyê, Exu

Recentemente, como alguns já sabem se acompanham os registros aqui escritos, mudei da umbanda pro candomblé. Também mudei de São Paulo para Ubatuba e, desde então, venho vivenciando experiências de transformação potentes e, é claro, experienciando as enormes diferenças de viver em uma cidade muito, mas muito menor do que a capital.

Uma das coisas que mais me chama atenção nessa troca é a relação que se estabelece entre os indivíduos e, então, a religião acaba aparecendo muito mais como fator diferencial do que nos grandes centros. Por aqui, já sou apontada como “a nova filha de santo do ilê do Pai, aquele do maracatu”, e isso não é necessariamente ruim. Prova disso é que tive que comprar tecido para confeccionar minha saia e candomblé e, então, fui até a lojinha no centro da cidade. O atendimento é feito pelo próprio dono da loja e, então, ao perceber que só seleciono tecidos brancos, ele lança: “ah, você é a nova filha do ilê lá de cima, né? Vai fazer saia de ração também? Aqui, ó, leva este, este e este outro, e como é pro axé, te dou um metro de cada de presente. Se precisar do figurino do grupo de maracatu também, é só falar, encomendo os acabamentos pra você e combinamos um desconto, tá?”.

Leia mais »

Média: 3.6 (5 votos)

A fé sob a perspectiva da Ciência Espírita, por Marcos Villas-Bôas

A fé sob a perspectiva da Ciência Espírita

por Marcos Villas-Bôas

A fé, ao longo da história humana, vem sendo quase sempre associada à crença religiosa dogmática. É tida por uma crença em Deus pautada na interpretação da palavra de algum Messias por um grupo de indivíduos que estão à frente de determinada religião. Como a fé fica associada à crença em dogmas peculiares a cada religião, isso leva ao afastamento entre os seus adeptos, pois cada qual argumenta que os seus dogmas são os únicos corretos.

Numa visão da Ciência Espírita, a fé é muito mais do que mera crença, e tal crença não é dogmática, mas científico-filosófica, como qualquer outra crença humana deve ser, ou seja, devemos acreditar em algo, apesar de sempre abertos a mudar de posição, porque há explicações racionais e plausíveis para aquilo, mas cientes de que contamos também com nossa intuição e nossos sentimentos nas tomadas de decisão. Do contrário, a tendência de se cair em ortodoxias/dogmatismos e misticismos é enorme, o que afasta os humanos da realidade e os segrega.

Segundo os Espíritos explicam em diversas obras psicografadas, a fé é uma crença, porém, mais forte do que isso, é um sentimento inato, escrito na consciência (ou inconsciência) de cada um:

“A fé é o sentimento inato, no homem, de sua destinação futura; é a consciência que tem das faculdades imensas, cujo germe foi depositado nele, primeiro em estado latente, e que deve fazer eclodir e crescer por sua vontade ativa.

Leia mais »

Média: 3.4 (10 votos)

O que estamos fazendo com o Espiritismo?, por Dora Incontri

do blog da Associação Brasileira de Pedagogia Espírita

Entre a pureza da ortodoxia e a salada mística: o que estamos fazendo com o Espiritismo?

por Dora Incontri

Vários articulistas já manifestaram aqui suas posições a respeito desse polêmico assunto: pureza doutrinária. Chegou a minha vez de dizer algo a respeito.

Em primeiro lugar, é preciso esclarecer (ou resgatar) alguns conceitos básicos do Espiritismo: Não se trata de uma revelação sagrada, por isso considero muito problemática a denominação das obras de Kardec de o “pentateuco espírita”! Os livros de Kardec não são como a Bíblia é para os fundamentalistas cristãos – palavra de Deus, revelada, que pode ser citada como fonte de autoridade absoluta. A obra de Kardec é de pesquisa, em que encarnados e desencarnados participaram da construção. Justamente uma das grandes contribuições de Kardec foi dessacralizar a revelação. E ele fez isso estabelecendo um método de pesquisa dos fenômenos espíritas, uma abordagem nova da vida espiritual, com racionalidade crítica e observação empírica. Então, conservar-se fiel à obra de Kardec é muito mais conhecer, entender, aprofundar e mesmo desdobrar com os recursos atuais, o método criado por ele (e foi criado por ele e não pelos Espíritos! Esses são na verdade ao mesmo tempo o objeto de estudo e os cooperadores de Kardec). O conteúdo do Espiritismo está sujeito à revisão, reelaboração e leituras históricas (compreendendo que algumas coisas que estão nas obras de Kardec são próprias do século XIX, têm uma influência da cultura europeia da época). O próprio fundador do Espiritismo não o queria fechado, num corpo de dogmas, a que leitores futuros teriam que se submeter cegamente.

O tempo inteiro, Kardec alerta para o aspecto científico de sua proposta, cujas hipóteses poderiam ser revistas.

Leia mais »

Média: 4.6 (9 votos)

Todos os humanos são médiuns e interagem com os Espíritos, por Marcos Villas-Bôas

Todos os humanos são médiuns e interagem com os Espíritos

por Marcos Villas-Bôas

O Livro dos Médiuns, publicado por Allan Kardec, é considerado a grande obra sobre mediunidade, porém, após ele, muitas outras vieram, até porque médiuns espetaculares encarnaram e puderam ser estudados, sobretudo no Brasil, como Yvonne do Amaral Pereira (1900-1984), Francisco Cândido Xavier (1910-2002) e Divaldo Pereira Franco (1927-).

Percebe-se pelas datas acima que a mediunidade não é doença e que é possível viver por muitíssimos anos passando por fenômenos surpreendentes, mas isso desde que sejam compreendidos e que o indivíduo saiba tomar os cuidados devidos para que a sua faculdade não lhe ocasione perturbações ou, o que é pior, doenças de ordem física ou mental.  

Neste blog, insistimos muito na explicação científica sobre a existência dos Espíritos devido à capacidade que tem essa teoria de mudar a vida das pessoas para melhor. Dado que todos são médiuns, ninguém deixa de interagir com os Espíritos diariamente, o que afeta suas vidas de forma positiva ou negativa. Entendendo muito bem como se dá essa interação, é possível agregar mais experiências positivas do que negativas.

Leia mais »

Média: 3.2 (14 votos)