Revista GGN

Assine

Movimentos sociais

PM faz reintegração de posse e despeja 600 famílias de ocupação em Campinas

ocupacao_mandela_2.jpg
 
Atualizado às 14h15 para acréscimo de informações
 
Jornal GGN - Na manhã desta terça-feira (28), a Polícia Militar realizou uma operação de reintegração de posse na Ocupação Nelson Mandela, no bairro Jardim Capivari, em Campinas (SP). No local, moravam cerca de 600 famílias, que ocupavam o terreno de 100 mil metros quadrados desde julho de 2016.
 
De acordo com o portal G1, em torno de 400 policiais militares, oficiais de Justiça e representantes de secretarias municipais de Campinas foram deslocados para a reintegração. De acordo com a EPTV afiliada da TV Globo, um policial se feriu ao ser atingido por um artefato explosivo, e um helicóptero da PM também participou da ação. 

Leia mais »

Média: 2.3 (3 votos)

No Tucarena, hoje, Jornada pela Democracia: Em Defesa da Aposentadoria

.

Jornal GGN - Hoje, segunda-feira, 27 de março, personalidades políticas e sociais se reúnem no Tucarena, teatro da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), em defesa da aposentadoria e dos direitos trabalhistas. Juristas, economistas, jornalistas, filósofos, estudantes, lideranças de sindicatos e movimentos sociais se encontram, a partir das 18h, a fim de discutirem alternativas em relação à reforma da previdência proposta pelo governo atual.

A “Jornada Pela Democracia: Em Defesa pela Aposentadoria” será mediada pelos jornalistas Marilu Cabañas e Renato Rovai e contará com a presença da reitora da PUC, Maria Amália. Durante o evento, organizado deputado federal Paulo Teixeira, ainda será lançado o livro "O golpe de 2016 e a Reforma da Previdência", uma coletânea de artigos publicada pelo Projeto Práxis.

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

Centrais de cooperativas e sindicais da América Latina se reúnem nesta semana em São Paulo

20170314_unisol_ii_encontro_banner_v.jpg

Jornal GGN - Na próxima quinta-feira (30), um encontro reunirá representantes de centrais sindicais brasileiras, argentinas, uruguaias em São Paulo, para discutir os desafios do sindicalismo na América Latina.

O II Encontro Internacional Sindicalismo e Cooperativismo na América Latina tem como pauta o fortalecimento da classe trabalhadora nos países latino-americanos e também o cenário de retrocessos e de ameaças aos direitos conquistados nas últimas décadas.

"Hoje, só com a capacidade de cooperação entre movimentos sociais, sindicatos, movimento cooperativo, juventude, universidade e estudantes será possível conseguir a unidade da classe trabalhadora", disse Leo Pinho, presidente da UNISOL Brasil (Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários), no último encontro.

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

Trabalhadores pagam a conta das denúncias da Carne Fraca, diz MST

mst_0.jpg
 
Jornal GGN - Em nota pública sobre a Operação Carne Fraca, deflagrada há duas semanas pela Polícia Federal, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra afirma que as denúncias reafirmam as contradições do modelo do agronegócio brasileiro. 
 
O MST também pede que as empresas envolvidas sejam punidas e ressalta que “mais uma vez a conta está sendo paga pelas trabalhadoras e trabalhadores da agroindústria da carne”, que agora já sofrem com as condições de trabalho e agora são prejudicados por demissões em massa decorrentes da reação às denúncias, como o embargo de diversos países à carne brasileira. 
 
Na nota, o movimento também critica o ‘conluio entre a mídia e o governo golpista’ que tenta esconder o processo de corrupção entre os fiscais do Ministério da Agricultura e as empresas do agronegócio. “Exigimos que seja investigada a apropriação privada desse Ministério pelo agronegócio”, diz o MST.

Leia mais »

Média: 4 (8 votos)

Governo Temer acelera agenda da MP que enterra reforma agrária

Da Rede Brasil Atual

 
Medida permite a venda de lotes e assentamentos após 10 anos e devolve ao mercado propriedades com fim social. Uma arapuca para os assentados, que ficarão vulneráveis ao latifúndio

Ministério do Planejamento está prestes a autorizar o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) a realizar concurso para a contratação temporária de técnicos, especialmente para atuar em procedimentos de titulação de terras da reforma agrária, conforme informou à RBA a Coordenadoria de Comunicação Social do órgão. O governo Temer afirma que até 2018 pretende titular 750 mil famílias assentadas, o que não seria possível com o atual déficit de servidores. Mas embora o título de concessão do lote garanta ao trabalhador rural o acesso a financiamento e assistência técnica por meio de programas oficiais para incrementar a produção, a intenção do governo não é exatamente proporcionar incentivos como esses, mas sim atender à agenda estabelecida  pela Medida Provisória 759/2016 – uma arapuca, conforme servidores do Incra e dirigentes do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST).

Leia mais »
Média: 2.3 (6 votos)

CUT rebate Folha sobre apoio a Temer em troca de recursos

cut_2.jpg
 
Jornal GGN - Por meio de nota publicada nas redes sociais, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vágner Freitas, rebate matéria da Folha de S. Paulo publicada neste sábado (25). O jornal diz que as “centrais sindicais ofereceram ao presidente Michel Temer a abertura de negociações para apoiar as reformas da Previdência e trabalhista em troca de ajuda do governo para retomar a cobrança da contribuição assistencial”.
 
Freitas afirma que a central não está negociando com o “governo ilegítimo e golpista” de Michel Temer e que a Folha inclui todas as centrais brasileiras na suposta negociação. O presidente da CUT também afirma que o jornal, “sempre que possível”, tenta desqualificar a CUT e sua luta pelos direitos dos trabalhadores.

Leia mais »

Média: 4.4 (10 votos)

Manifesto contra a reforma trabalhista

do Brasil Debate

Manifesto contra a reforma trabalhista

Pesquisadores, estudantes e profissionais da área do trabalho se uniram para encaminhar o seguinte manifesto, dirigido ao Congresso Nacional e ao governo federal, sobre a reforma trabalhista em curso. Veja, ao final, o link para deixar sua assinatura.

MANIFESTO CONTRA A REFORMA TRABALHISTA

Sem emprego e sem direitos: uma reforma antitrabalho

Nós, pesquisadores, estudantes e profissionais da área do trabalho, abaixo assinados, vimos a público denunciar os retrocessos inaceitáveis contidos nas duas propostas de reforma trabalhista em curso no Congresso Nacional: a prevalência do negociado sobre o legislado (PL 6.787/2016) e a regulamentação da terceirização (PL 4302/1998 e PLC 30/2015).

Leia mais »

Média: 4.5 (10 votos)

Sindicato dos Médicos do RJ escolhe seu novo presidente, por Marcelo Auler

Atos dos médicos na Cinelândia

Do blog de Marcelo Auler

Médicos fluminense reagirão?

Marcelo Auler

O governo ilegítimo de Michel Temer e sua corriola tem provocado, de forma indesejada, a reativação dos movimentos sociais e sindicais. Trata-se, no fundo, de um movimento de autodefesa, no momento em que direitos trabalhistas e previdenciários estão sendo ameaçados.

Esta semana (20 a 24 de março), os médicos do município do Rio de Janeiro – categoria composta por 80 mil profissionais no Estado, dos quais pelo menos, 17 mil profissionais da capital estão aptos a decidirem futuro do Sindicado dos Médicos do Município do Rio SindMed-RJ.

Leia mais »

Média: 4 (4 votos)

os Brasis: Sul de Minas se levanta contra o desmonte da Previdência

 

Enviado por arkx

vídeo: 

Leia mais »

Média: 4.5 (8 votos)

Temer não pode vender os bens do povo brasileiro, diz Lula em ato na Paulista

Lula em manifestação em abril de 2016 - Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

 

Jornal GGN - Em discurso a cerca de 200 mil manifestantes na avenida Paulista, em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o golpe "não foi apenas contra Dilma", mas também para "acabar com as conquistas sociais", e que Michel Temer deveria o escutar e ser "presidente de empresa", não "vender os bens do povo brasileiro".
 
A declaração foi no ato na capital paulista, que teve início às 15h e se estendeu pela noite desta quarta-feira (15), no Dia Nacional de Luta Contra as Reformas da Previdência e Trabalhista e pela saída de Michel Temer.
 
"Está ficando cada vez mais claro que o golpe dado neste país não foi apenas contra a Dilma e os partidos de esquerda. O golpe foi para colocar um cidadão sem nenhuma legitimidade para acabar com as conquistas sociais do povo", introduziu Lula no discurso.
 

"Colocou no Congresso uma força política para enfiar goela abaixo do povo brasileiro uma reforma que vai impedir a aposentadoria de milhões. O problema não é de dinheiro. Eu queria que o Meirelles estivesse ouvindo. Eu queria que o Temer estivesse ouvindo", alertou o ex-presidente.

Leia mais »
Média: 4.5 (26 votos)

Dia Nacional de Luta contra as Reformas de Temer paralisa o país

Trabalhadores pedem justiça nas ruas de Brasília! Foto: Mídia NINJA
 
Jornal GGN - Manifestações por todo o país nesta quarta-feira (15)., com a paralização de ônibus e transportes públicos, deixam claro o recado: não à Reforma da Previdência, Reforma Trabalhista e pela saída de Michel Temer da Presidência da República.
 
Convocados por sindicados, incluindo as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, ligadas à Central Única dos Trabalhadores (CUT), e movimentos sociais como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), os atos são realizados em cidades de todo o Brasil na manhã e tarde de hoje.
 
Logo no início do dia, cerca de 1.500 pessoas ligadas a movimentos rurais ocuparam o Ministério da Fazenda, em Brasília, no protesto contra a reforma da Previdência, que está sendo analisada pela Câmara dos Deputados.
Média: 5 (7 votos)

Em SP, Lula participará de ato contra reforma da Previdência

lula_paulista_manifestacao.jpg

Da Rede Brasil Atual

 
por Rodrigo Gomes
 
Ônibus municipais e intermunicipais da região metropolitana, metrô, escolas municipais e estaduais, unidades de saúde, bancos e correios vão paralisar atividades pela mobilização

Dia Nacional de Mobilização e Paralisação contra a reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer, que ocorre  em todo o país, terá a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no ato político que começa às 16h, na Avenida Paulista, região central da capital paulista. A informação foi confirmada em coletiva de imprensa dos movimentos sociais e centrais que organizam o ato. As mobilizações terão início pela manhã, com paralisação de várias categorias, dentre elas, ônibus municipais e intermunicipais da Região Metropolitana de São Paulo (capital, ABC, Guarulhos, Mogi das Cruzes), Metrô (exceto Linha 4-Amarela), escolas municipais e estaduais, unidades de saúde, bancos, correios e poder judiciário.

Leia mais »
Média: 4.6 (10 votos)

Movimentos ocupam Ministério da Fazenda contra reforma da Previdência

2017-03-15-photo-00000369.jpg
 
Jornal GGN - Na madrugada desta quarta (15), cerca de 1500 pessoas ocuparam a sede do Ministério da Fazenda, em Brasília, em ato que faz parte do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação contra a Reforma da Previdência. 
 
Entre os movimentos que participam da ocupação, estão o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Movimento das Mulheres Camponesas (MMC), Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), além de contar com o apoio de professores do Sinpro/DF e de categorias de sindicatos da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Leia mais »

Média: 4.1 (7 votos)

Nesta quarta, centrais realizam atos contra reformas de Temer

protesto-temer.jpg

Da Rede Brasil Atual

Movimentos apostam no 15 de março para barrar 'reformas' de Temer

Diversas categorias, incluindo do transporte, confirmaram participação. Em São Paulo e no Rio, estão marcados atos a partir das 16h. Em Brasília e BH, pela manhã. Comissões especiais têm novas reuniões

Centrais sindicais e movimentos populares apostam no dia nacional de paralisação, nesta quarta-feira (15), para influenciar as votações no Congresso – com maioria governista, mas bases divididas – contra as propostas de reformas trabalhista e da Previdência Social. "Temos condições de transformar o 15 de março numa trincheira em defesa da aposentadoria como política pública e parte da seguridade social e não um ativo para ser comprado em agência bancária", diz o presidente da CUT, Vagner Freitas, para quem a mobilização nos estados, via comitês, ajuda a pressionar os parlamentares. Segundo ele, as reformas complementam o golpe iniciado com o impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Leia mais »
Média: 5 (3 votos)

Em São Paulo, mulheres fazem dois grandes atos e protestam contra reforma e Doria

mulheres_8_de_marco.jpg

Da Rede Brasil Atual

 
Depois de mulheres e professores das redes públicas se encontrarem em caminhada, manifestantes mudaram trajeto e seguiram para a sede da prefeitura
 
O ato realizado nesta quarta-feira (8) em São Paulo pelo Dia Internacional da Mulher e contra a reforma da Previdência se encontrou com o movimento de professores das redes públicas estadual e municipal no cruzamento da Avenida Brigadeiro Luís Antônio com o Viaduto Maria Paula, na região central. O trajeto mudou depois que o movimento decidiu seguir para o Viaduto do Chá no sentido da prefeitura de São Paulo. Na frente do prédio, as mulheres gritaram palavras de ordem contra o prefeito João Doria (PSDB).
Média: 4.3 (6 votos)