Revista GGN

Assine

Literatura

Catarina e Jarirí - uma paixão sobre-humana, por Cafezá

Catarina e Jarirí - uma paixão sobre-humana, por Cafezá

Entoncis, Tuxo tumô o caminhu da casa di Xico da Noite. Foi andanu cum todo u cuidado, oianu pá tudos os lados, a ver si tinha arguém istranho nu trajéto. U puóvo trabaiadô tava cumessano a tumá as ruas pá ir pro trabaio nos caminhão di bóia-fria qui ficavam ispéranu seus recheios humanos na praça principar da ciudadi. Vestidos cum muita ropa, qui cubriam os cuórpos todos e as cabeças, para si protegêrem das ferpas cortantes i tóxicas das fôia di cana-de-açucar, ficavam parecidos cum póbris astronautas maltrapilhos. I foi indaí qui Tuxo iscutô arguém o chamanu:

- Tuxo, Tuxo, ispéra um poco. So ieu, tua irmã.

Leia mais »

Média: 3 (2 votos)

Por todas as poesias ainda não escritas, por Régis Mubarak

Por todas as poesias ainda não escritas

por Régis Mubarak 

Falar sobre Paulo Leminski é recordar com doses homeopáticas de angústia existencial, que temos escondidos na memória amores mal resolvidos, sentimentos contidos, palavras não ditas, poesias perdidas e muitas, muitas poesias que ainda não foram escritas e mentimos para nós mesmos os reais motivos de não sabermos por que.

Professor e tradutor, Paulo Leminski (1944-1989), descendente de poloneses e africanos, por si só mistura étnica explosivamente encantadora, viveu tão intensamente quanto escreveu em suas metáforas os desejos dos corações partidos. E em suas obras, as dores, as expiações e os infinitos desconcertos da existência humana. Pintando tais sentimentos com pincéis mui dançantes por entre delicados objetos de cristais.

Paulo Leminski escrevia com a própria alma. E a alma não nos deixa mentir.

Também músico e letrista, pesquisador da cultura e língua japonesa, o poeta paranaense dominava idiomas que iam do francês, inglês, espanhol, grego e latim e não recebeu acolhida e tratamento dignos. Aos poucos eis que a história tendo por obrigação reescrever-se reconhece envergonhada que grandes gênios inexplicavelmente em sua passagem pela terra são maltratados ou ignorados. Recebendo mínimas doses de afeto, como se invisíveis fossem mesmo ao cruzar esquinas abertas em dias de céu azul.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

a vida só é bela para os ressuscitados, por romério rômulo

"a vida só é bela para os ressuscitados"

por romério rômulo

 

o meu verso é um estrago

na linha do meu pescoço

o meu dente, só um bago

o meu corpo, puro osso

 

minha boca de ariranha

minha mão atropelada

minha ferida medonha

a minha pele rasgada

Leia mais »
Média: 4.2 (5 votos)

Lista de Livros: Textos escolhidos (Os Pensadores), parte II – Denis Diderot

Enviado por Doney

Lista de Livros: Textos escolhidos (Os Pensadores), parte II – Denis Diderot

Editora: Abril Cultural

Tradução e notas: Marilena de Souza Chauí e J. Guinsburg

Opinião: muito bom

Páginas: 78

     Suplemento à viagem de Bougainville ou Diálogo entre A e B

     “— Uma observação assaz constante é que as instituições sobrenaturais e divinas se fortalecem e se eternizam, transformando-se, com o tempo, em leis civis e nacionais; e que as instituições civis e nacionais se consagram, e degeneram em preceitos sobrenaturais e divinos.

     — Um fio a mais que juntamos ao laço com que nos apertam.”

*

     “(O nativo) Era pai de numerosa família. A chegada dos europeus, deixou cair olhares de desdém sobre eles, sem expressar espanto, nem medo, nem curiosidade. Abordaram-no; ele volveu-lhes as costas, retirou-se para sua cabana. Seu silêncio e seu cuidado revelavam muito bem seu pensamento: gemia, no íntimo, sobre os belos dias de seu país, eclipsados. À partida de Bougainville, quando os habitantes acorriam em multidão à margem, agarravam-se ao vestuário dele, apertavam seus camaradas entre os braços, e choravam, o velho avançou com ar severo e disse:

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

As traduções de Emmanuel Santiago para doze sonetos de Shakespeare, por Gilberto Cruvinel

As traduções de Emmanuel Santiago para doze sonetos de Shakespeare

por Gilberto Cruvinel

Emmanuel Santiago participou da entrevista feita com o mestre Ivo Barroso e publicada no GGN há dois meses (A tradução integral de Ivo Barroso).

Poeta, crítico literário e professor de Literatura no Ensino Médio, Emmanuel é graduado em Letras pela Universidade Federal de Ouro Preto e mestre em Literatura Comparada pela USP com a tese sobre Guimarães Rosa, “A narração dificultosa”, publicada em e-book e premiada. Formou-se depois doutor em Literatura Brasileira com a tese “A Musa do Espartilho: o erotismo na poesia parnasiana brasileira”. Emmanuel é também autor do livro de poesia Pavão bizarro.

Este jovem poeta mineiro de São Lourenço já ofereceu aos que gostamos de sonetos e amamos Shakespeare a tradução, até este momento, de 12 dos 154 sonetos do bardo da Avon. Um de nossos maiores mestres do ofício de traduzir, Ivo Barroso, apreciou a habilidade e viu grande sensibilidade tradutória no trabalho de Emmanuel, identificando-o como um tradutor comprometido com a linguagem atual enquanto ele, Ivo, optou por um “estilo arcaizante”, na expressão do próprio Barroso.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Lista de Livros: Textos escolhidos (Os Pensadores), parte I – Denis Diderot

Seleção de Doney

Lista de Livros: Textos escolhidos (Os Pensadores), parte I – Denis Diderot

Editora: Abril Cultural

Tradução e notas: Marilena de Souza Chauí e J. Guinsburg

Opinião: muito bom

Páginas: 138

Carta sobre os cegos para uso dos que veem

     “Se vos prestardes por um instante a tal suposição, ela vos lembrará, sob traços supostos, a história e as perseguições dos que tiveram a desgraça de encontrar a verdade em séculos de trevas, e a imprudência de revelá-la aos cegos contemporâneos, entre os quais não deparavam inimigos mais cruéis do que aqueles que, por sua condição e sua educação, pareciam dever estar menos afastados de seus sentimentos.”

*

     “Um meio quase seguro de enganar-se em metafísica é não simplificar bastante os objetos de que nos ocupamos; e um segredo infalível para chegar em físico-matemática a resultados defeituosos é supô-los menos compostos do que o são.”

*

     “Tudo o que é do homem perece com o homem.”

*

     “Vem um tempo em que o gosto dá conselhos cuja justeza se reconhece, mas que não se tem mais a força de seguir.”

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

clarice arrancou os meus segredos, por romério rômulo

clarice arrancou os meus segredos

por romério rômulo

 

cachorros e cavalos do meu corpo,

meus olhos, minha estrada, meus enredos,

são vastas as entranhas desta casa:

 

clarice arrancou os meus segredos.

Leia mais »
Média: 5 (3 votos)

Tanto de meu estado me acho incerto, por Luís Vaz de Camões

Enviado por Gilberto Cruvinel

Tanto de meu estado me acho incerto, 
que em vivo ardor tremendo estou de frio; 
sem causa, juntamente choro e rio, 
o mundo todo abarco e nada aperto.

.

É tudo quanto sinto, um desconcerto;

da alma um fogo me sai, da vista um rio;
agora espero, agora desconfio, 
agora desvario, agora acerto.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

pedaços de paixão morrem na estrada, por romério rômulo

Foto Sebastião Salgado

pedaços de paixão morrem na estrada

por romério rômulo

 

sou outro. minha carne se remonta

ao pleno da canção tumultuada

onde uma vida pode pouco ou nada

quando a morte embebeda e tonta.

 

pedaços de paixão morrem na estrada.

Leia mais »
Média: 5 (3 votos)

O nariz de Pinóquio e os narizes dos figurões da república, por Sebastião Nunes

O nariz de Pinóquio e os narizes dos figurões da república

por Sebastião Nunes

Preocupadíssimo, Geppetto se postou diante do espelho mágico e indagou:

– Espelho, espelho meu, haverá nariz mais comprido que o de Pinóquio?

– Ah, ah, ah! – riu-se o espelho da ingenuidade do velho marceneiro. – Só no Brasil, meu caro, existem milhares de narizes mais compridos que o de seu filho.

– Não acredito, seu pedaço de vidro estúpido – irritou-se o velho. – E como eles conseguiram narizes tão compridos?

– Mentindo, uai! – respondeu o espelho à moda mineira. – Não foi colecionando mentiras que o nariz de Pinóquio cresceu tanto?

– Tá danado – resmungou Geppetto, e foi bater na porta do filho.

– Pinóquio, meu filho, abre essa porta. Não adianta nada esgoelar!

Leia mais »

Imagens

Média: 5 (6 votos)

Lista de Livros: Dicionário Filosófico – Voltaire

Seleção de Doney

Lista de Livros: Dicionário Filosófico – Voltaire

Editora: Domínio Público

Tradução: Líbero Rangel de Tarso

Opinião: muito bom

Páginas: 459

     “Conhece-te a ti mesmo* é excelente preceito, mas só a Deus é dado pô-lo em prática. Quem mais pode conhecer a própria essência?”

*: Esta inscrição acha-se gravada na fachada do templo de Delfos.

*

     “Inútil discutir quanto aos sentimentos secretos de Moisés. O fato é que nas leis públicas ele nunca falou de vida futura. Todos os castigos, todos os prêmios, restringe-os ao presente. Se conhecia a vida vindoura, por que não expôs expressamente tão importante dogma? E se não a conheceu, qual o objeto de sua missão? É o que perguntam muitas personagens ilustres. E respondem que o Mestre de Moisés e de todos os homens se reservava o direito de explicar a bom tempo aos judeus uma doutrina que eles não estavam em condições de compreender quando no deserto.”

*

AMOR PRÓPRIO

     Um mendigo dos arredores de Madri esmolava nobremente. Disse-lhe um transeunte:

     — O sr. não tem vergonha de se dedicar a mister tão infame, quando podia trabalhar?

     — Senhor, – respondeu o pedinte – estou lhe pedindo dinheiro e não conselhos. – E com toda a dignidade castelhana virou-lhe as costas.

Leia mais »

Média: 4 (4 votos)

eu só entrego a margem do meu rosto, por romério rômulo

eu só entrego a margem do meu rosto

por romério rômulo

 

quem se rendeu à sólida manhã?

 

perdeu-se  pela carne e pelo rito

todo que viu a luz ser habitante

da sua pele escassa e já dormida.

Leia mais »
Média: 5 (1 voto)

Conversas com o mestre Antonio Candido

antoniocandido.jpg

Foto: André Gomes de Melo

Jornal GGN - Falecido na última sexta-feira (12), o crítico literário e sociólogo Antonio Candido é considerado o dono de umas das obras mais fundamentais da intelectualidade brasileira. Abaixo, uma seleção de vídeos com depoimentos, discursos e entrevistas do crítico e ensaísta, incluindo falas de Marilena Chauí e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Assine

Enviado por Cristiane N. Vieira

 
Em memória do país honrado por sua vida e obra
Média: 5 (3 votos)

Como foram assassinados os moleques João Huck e Luciano Dória Jr., por Sebastião Nunes

favela_metro_tania_rego_agencia_brasil.jpg

Foto: Tania Rego/Agência Brasil

Eram gêmeos univitelinos: cara de um, focinho de outro. Nasceram num dia de sol quente na favela do Quebra-Pau – qualquer um sabe onde fica, não sabe?

Na hora de escolher os nomes, o maior fuzuê: a mãe, fanática pelo maridão da Angélica, exigia que um se chamasse Luciano Huck. Já o pai, vidrado no bon-vivant das noitadas paulistanas, não abria mão de João Dória, inclusive com o Jr.

Por que não fizeram assim, um nome chique e midiático para cada um? Não sei: mistérios insondáveis de pobres turrões.

Brigaram de soco, pontapé, beliscão e mordida. Quando a ambulância chegou, chamada pelos vizinhos, gemiam ensanguentados no chão da cafua. Os filhotes? Quase se acabando de tanto esgoelar num colchonete fedorento.

Leia mais »

Imagens

Média: 4.4 (13 votos)

“Canalhas, calhordas e corruptos”: ex-assessor de Dilma lançará livro sobre o impeachment

dilma_12_de_maio_16_roberto_stuckert_filho.jpg
 
Pronunciamento de Dilma no dia 12 de maio de 2016, após seu afastamento. Foto: Roberto Stuckert Filho
 
Jornal GGN - Secretário de imprensa de Dilma Rousseff durante o segundo mandato da presidente, Olímpio Cruz Neto fazia o meio-de-campo entre Dilma e os repórteres, além de acompanhar a chefe de Estado em viagens nacionais e internacionais. 
 
Atualmente assessor de Jorge Vianna, senador pelo PT do Acre, Cruz Neto prepara um livro sobre os últimos dias da rotina presidencial, que deverá ser o nono a tratar do processo de impeachment e menos de um ano. 
 
No trecho abaixo, Olímpio faz o relato de um ano atrás, do dia 12 de maio, quando Dilma foi afastada do cargo, detalhando hábitos da presidente, estratégias de comunicação e também a reação ao ministério montado pelo então interino Michel Temer. 

Leia mais »

Média: 4.2 (10 votos)