Revista GGN

Assine

Eleições

Candidato Eduardo Campos morre em acidente aéreo em São Paulo

Foto: O Globo

Jornal GGN - O candidato Eduardo Campos morreu, na manhã desta terça (13), em um acidente aéreo em São Paulo. A aeronave que o levava a uma agenda no litoral paulista caiu em uma rua da cidade de Santos, por volta das 10h. Segundo a Aeronáutica, outros seis passageiros, incluindo os dois pilotos, não sobreviveram. O motivo do acidente ainda é investigado. O Corpo de Bombeiros afirma ter dificuldade para encontrar os restos mortais, espalhados pelo impacto da queda. 

Consta na lista de vítimas divulgada pela Infraero Alexandre Gomes e Silva, Carlos Augusto Leal Filho, Geraldo da Cunha (piloto), Marcelo Lyra (fotógrafo), Marcelo Matos (piloto) e o ex-deputado Pedro Valadares Neto.

A candidata a vice-presidente, Marina Silva (Rede), não acompanhava Campos na aeronave. Seguno o PSB, a família de Campos encontrava-se em Recife no momento do acidente. A mãe do candidato, Ana Arraes, ministra do Tribunal de Contas da União, ficou sabendo da tragédia em Brasília, e partiu para Pernambuco logo em seguida.

Poucas horas depois do acidente, o Corpo de Bombeiros informou que sete pessoas ficaram feridas e pelo menos três casas foram atingidas no acidente. As vítimas estão em atendimento em um hospital próximo.

Leia mais »

Média: 4.6 (8 votos)

Eleições e plebiscito revogatório Já, por Roberto Requião

Estamos sendo escravizados por um governo fraco que cede a toda e qualquer exigência do capital estrangeiro
requiao_2_2.jpg
Marcos Oliveira/Agência Senado
 
Eleições e plebiscito revogatório Já
 
Por Roberto Requião
 
Para se mudar uma realidade, é preciso que a conheçamos em profundidade. A realidade do Brasil, hoje, que é exposta nas redes de televisão, nos jornais e nas rádios é terrível.  Mas ela não é uma realidade completa e fielmente representada por essa mídia.
         
A mídia presta serviços a setores da sociedade. A mídia está a serviço, dos banqueiros, do capital financeiro e dos rentistas. A mídia quer realizar uma involução no Brasil, em favor do livre mercado, do Estado Mínimo e do fim do Estado Social.
 
Vou dar um exemplo para deixar mais claro.
      
Temer dá uma entrevista à TV Bandeirantes, e durante esta entrevista diz, com todas as letras e absoluta clareza, que a ex-presidente Dilma foi cassada porque o PT se recusou a vender três votos favoráveis a Eduardo Cunha na Comissão de Ética.
         
Eduardo Cunha é velho conhecido e parceiro de Temer. Foi uma marionete do processo de impeachment, admitindo-o somente por terem negado sua absolvição, o que era esperado, visto se tratar de um notório criminoso. Cunha foi o principal instrumento do impeachment de Dilma Rousseff. 
Leia mais »
Média: 4.6 (11 votos)

Rivais temem retorno de Lula, diz Financial Times

lula_sbc_ricardo_stuckert.jpg
 
Foto: Ricardo Stuckert
 
Jornal GGN - Em matéria assinada pelo correspondente John Leahy, o jornal britâncio Financial Times analisa as possibilidades de um retorno do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à disputa eleitoral em 2018, afirmando que o “regresso do populista Lula da Silva é uma nova dor de cabeça para o Sr. Temer”.
 
Leahy afirma que, em vídeo onde critica as reformas propostas pelo governo Temer, Lula deu o início daquela que pode se tornar “uma das mais notáveis tentativas de retomada política do país”. 
 
O FT comenta o aprofundamento das investigações da Operação Lava Jato com a autorização de mais de 70 investigações políticos, incluindo oito ministros do governo de Michel Temer. O jornal diz que Lula tenta capitalizar os problemas políticas enfrentados pelo peemedebista.

Leia mais »

Média: 4.3 (7 votos)

PT pensa em lançar Haddad ou Suplicy ao Senado, após delações da Odebrecht

Foto: Facebook/Eduardo Suplicy

Jornal GGN - O impacto da delação da Odebrecht sobre a classe política, principalmente sobre lideranças tucanas no Senado, faz o PT repensar a decisão de lançar Fernando Haddad e Eduardo Suplicy à Câmara apenas, abrindo mão de disputar uma cadeira no Senado com um dos dois nomes.

Segundo informações da jornalista Mônica Bergamo (Folha), "a divulgação dos depoimentos dos delatores da Odebrecht reanimou o PT a estudar o lançamento de um candidato ao Senado em São Paulo em 2018. Os nomes mais fortes são o do ex-prefeito Fernando Haddad e o do vereador Eduardo Suplicy."

Leia mais »

Média: 3.9 (7 votos)

O 3 marcos de Lula no Ibope: maior potencial de voto, eleitorado cativo e queda na rejeição

Foto: Roberto Stuckert Filho
 
 
Jornal GGN - Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta (20) mostra entre 9 nomes testados para a presidência da República em 2018, Lula é o único que conseguiu atingir três marcos: reúne maior potencial de voto entre os concorrentes, é o único que conseguiu reduzir o índice de rejeição e tem o maior eleitorado cativo.
 
A sondagem foi feita antes da divulgação da chamada lista de Fachin, que inclui uma série de pedidos de abertura de inquéritos assinados pela Procuradoria Geral da República, no âmbito da Lava Jato.
Média: 4.3 (6 votos)

Setores do PT acham que Supremo garantirá candidatura de Lula em 2018

 
Jornal GGN - É destaque na coluna da jornalista Mônica Bergamo, na Folha desta segunda (18), que parte do PT está confiante de que a candidatura de Lula a presidente da República, em 2018, será garantida pelo Supremo Tribunal Federal.
 
Condenações de Lula em primeira e segunda instância são "dadas como certa", mas um setor da legenda confia que o STF vai dar aval à presente do ex-presidente na cédula eleitoral com o argumento de que ainda faltaria o "posicionamento das cortes superiores para a condenação definitiva dele".
 
Uma outra parcela do PT acredita que embora Lula possa ser condenado por Sergio Moro até junho, no caso triplex, a decisão em segunda instância não deve sair antes da campanha eleitoral começar.
 
Média: 1.7 (11 votos)

Painel: Só Lula tem "couraça grossa" o bastante para duelar com quem nega a política

 
Jornal GGN - O impacto da delação da Odebrecht sobre caciques de partidos de todos os naipes fará a classe política se realinhar naturalmente projetando Lula como o único candidato capaz de bater outsiders na eleição de 2018. É o que diz a coluna Painel, da Folha deste domingo (16).
 
Segundo o jornal, irradia "para além da esquerda a tese de que a candidatura do ex-presidente Lula em 2018 é vital para evitar o extermínio da política. Com o lodaçal lançado sobre diversas siglas, há um trabalho para atrair desde já legendas de centro para a órbita do petista — a começar por caciques do PMDB, que teriam 'senso de sobrevivência'. Tudo sob a premissa de que só Lula teria a couraça grossa o suficiente para travar uma batalha campal contra a Lava Jato."
Média: 4.2 (18 votos)

Alckmin diz que Doria seria ótimo candidato ao governo de SP

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse, na manhã desta segunda (10), que o prefeito Joao Doria seria um "ótimo candidato" a sucessor no Palácio dos Bandeirantes. A declaração foi feita após reunião com o prefeito e secretários estaduais e municipais no Palácio dos Bandeirantes, na sede do governo.
Média: 5 (1 voto)

Lula: a candidatura como saída democrática, por André Singer


Foto: Paulo Pinto e Ricardo Stuckert - Instituto Lula
 
Jornal GGN - Após a decisão do julgamento da chapa Dilma e Temer, a segunda decisão que os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) terão que enfrentar é se Lula poderá se candidatar à Presidência em 2018. "Caso Lula possa candidatar-se, a recomposição do tecido democrático esgarçado pelo golpe parlamentar ganha densidade. Na hipótese contrária, a instabilidade tende a se prolongar, abrindo caminho para saídas autoritárias", analisa o cientista político André Singer, em sua coluna.
 
Nesse sentido, o resultado final de uma possível disputa pelo petista não é o mais importante. "Não importa, portanto, que Lula ganhe, e sim que consiga concorrer em igualdade de condições".
Média: 3.5 (8 votos)

Renan acredita que Lula conseguirá ser candidato mesmo condenado por Moro

Foto: Jonas Pereira/Agência Senado
 
Jornal GGN - O senador Renan Calheiros (PMDB) acredita que o ex-presidente Lula conseguirá concorrer ao Palácio do Planalto em 2018, mesmo se for condenado pelo juiz Sergio Moro na Lava Jato. E não está sozinho: Jader Barbalho e Roseana Sarney fizeram a mesma avaliação que Renan, na última quarta-feira, durante um jantar na casa da senadora Katia Abreu.
 
"Outros peemedebistas compartilham da avaliação de Renan. Entre eles o senador paraense Jader Barbalho e a ex-governadora maranhense Roseana Sarney. Discutiram o assunto na madrugada de quarta-feira, em jantar na casa da senadora Kátia Abreu. Líder do governo de Michel Temer no Senado, Romero Jucá (RR) discordou. Disse acreditar que a condenação de segundo grau de Lula chegará mais rápido do que sua candidatura, que só pode ser formalizada em meados de 2018, numa convenção", apontou o colunista Josias de Souza, no UOL.
Média: 3 (4 votos)

Primárias para as listas partidárias, por Henrique Fontana

Primárias para as listas partidárias

por Henrique Fontana

O atual sistema eleitoral brasileiro está esgotado como modelo que garanta a qualidade da nossa democracia e da representatividade política. Diante da atual crise vivida pelo país, fica evidente que o sistema de lista aberta com voto nominal e financiamento privado não é mais capaz de dar as respostas que a sociedade brasileira espera e exige. Esta constatação é quase um consenso, o atual sistema é caro, personalista, e facilita a corrupção e o Caixa Dois. Quando a população sai às ruas para dizer “Não me representa!”, isso revela a face mais visível de um modelo superado, e que está na raiz da baixa legitimidade política do atual congresso e no número cada vez maior de parlamentares envolvidos em denúncias e investigações de corrupção.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

"Lula preso elege qualquer um em 2018", diz ex-ministro Nelson Jobim

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Jornal GGN - O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Nelson Jobim disse, segundo reportagem do Valor desta segunda (3), que a Lava Jato provocará impactos desconhecidos na eleição de 2018, surpreendendo quem acredita que uma eventual prisão de Lula pode tirar a esquerda do tabuleiro político. Na visão de Jobim, o capital do ex-presidente da República é tão grande que ele elege "qualquer um", mesmo que seja preso.

Leia mais »

Média: 4.3 (12 votos)

Alas do PSDB já apontam Doria como único capaz de derrotar Lula em 2018

 
Jornal GGN - A capa da edição da Folha de S. Paulo desta quinta-feira (30) trata do candidato virtual do PSDB a presidência em 2018, Joao Doria Jr, prefeito de São Paulo. A informação principal dá conta de que até Aécio Neves concorda que Doria seria o plano B ideal. Mas algumas alas do tucanato já enxergam no homem do "não sou político, sou empresário" a única figura capaz de derrotar Lula numa disputa pelo Planalto em 2018.
 
O GGN já havia antecipado essa movimentação do PSDB, em 6 de março, quando tratou do assunto no artigo "Entra em campo o fator Joao Doria, por Luis Nassif". O fio condutor da postagem é a avaliação de que a Lava Jato transportará a tríade tucana Aécio, Geraldo Alckmin e José Serra para uma terra arrasada, a reboque das delações da Odebrecht.
Média: 3.1 (9 votos)

"Lula é um entre candidatos em 2018", afirma Dilma

Presidente discursou na inauguração popular da transposição do Rio São Francisco, alertando para um segundo golpe que é impedir a candidatura de Lula 

 
Jornal GGN - A presidente Dilma Rousseff fez um discurso emocionado, nesta tarde de domingo (19), durante a inauguração popular da transposição das águas do Rio São Francisco, realizada no município de Monteiro, no interior da Paraíba, reunindo milhares de pessoas. 
 
Ela aproveitou a ocasião para criticar a equipe de Michel Temer pela inauguração oficial, que aconteceu no dia 10 de março, pedindo para a população não esquecer que foi no governo Lula que a obra, há décadas no papel, foi finalmente colocada em ação. "Esta é uma obra que estava praticamente concluída quando eu saí do governo", pontuou. 
 
"Campina Grande vai, por essa chegada da transposição, abastecer uma população de um milhão, os primeiros um milhão dos 12 milhões de pessoas que ela vai beneficiar, geralmente as pessoas mais pobres, aquelas que mais precisam". 
 
Dilma também criticou a reforma da previdência, avaliando que, para conseguir se aposentar com o benefício integral, os jovens vão ter que iniciar a vida no trabalho aos 16 anos, ou, ainda na infância. 
Leia mais »
Média: 4 (13 votos)

Entenda: Michel Temer tentará, mas não pode separar julgamento de Dilma

 
Jornal GGN - Em estratégia de desvincular os esquemas de corrupção e de caixa dois para o financiamento de campanha de Dilma Rousseff e Michel Temer em 2014, o atual presidente e peemedebista retoma a tática de isolar a responsabilidade sobre Dilma. O GGN apurou que Temer contará com o auxilio das brechas de uma legislação não clara quanto à prestação de contas pelos comitês financeiros.
 
A Lei que trata do tema é a 9.504, de 30 de setembro de 1997, chamada Lei das Eleições. O artigo que regulamentava o funcionamento dos comitês financeiros era o 19, que estabelecia a exigência do grupo responsável pela arrecadação, aplicação, contabilização e prestação de contas da campanha eleitoral.
 
Art. 19. Até dez dias úteis após a escolha de seus candidatos em convenção, o
partido constituirá comitês financeiros, com a finalidade de arrecadar recursos e 
aplicá-los nas campanhas eleitorais.
 
§ 1º Os comitês devem ser constituídos para cada uma das eleições para as quais
o partido apresente candidato próprio, podendo haver reunião, num único comitê, 
das atribuições relativas às eleições de uma dada circunscrição
 
§ 2º Na eleição presidencial é obrigatória a criação de comitê nacional e facultativa
a de comitês nos Estados e no Distrito Federal.
 
§ 3º Os comitês financeiros serão registrados, até cinco dias após sua constituição,
nos órgãos da Justiça Eleitoral aos quais compete fazer o registro dos candidatos

Leia mais »
Média: 4.2 (5 votos)