Revista GGN

Assine

Cidades

Doria contrata membro do MBL e vai a lançamento de livro de Kim Kataguiri


Foto: Reprodução

Jornal GGN - O prefeito de São Paulo e um dos possíveis presidenciáveis em 2018, João Doria (PSDB), vem se aproximando de movimentos como o MBL e de suas figuras e lideranças, como Kim Kataguiri.

Os acenos que vem dando é de aproximar este setor de sua gestão e talvez de sua campanha: desde a contratação de um integrante do MBL que apagou pichações feitas por manifestantes no muro da casa de Doria, até a presença do tucano responsável por comandar a capital mais importante do país no lançamento do livro de Kataguiri.
 
Cauê Del Valle, 23, coordenador nacional do MBL, foi contratado a uma subprefeitura de São Paulo, a de Pinheiros, na zona oeste da cidade. Ele foi um dos membros que foi até a casa de Doria, nos Jardins, para repintar o muro pichado em ato.
Média: 2.3 (6 votos)

Escândalos no Serviço Funerário foram abafados em gestão Doria, por Victor Amatucci

http://www.imprenca.com/wp-content/uploads/2017/09/Capturar-11-300x287.png 300w" style="border: 1px solid; height: 624px; vertical-align: middle; margin-bottom: 0px; width: 652px;">
 
Por Victor Amatucci
 
 
Chefe de fiscalização envolvido em escândalo nacional, superintendente que faz vista grossa para máfia funerária e boicote de partido aliado a Doria às privatizações são alguns dos escândalos abafados pela gestão tucana
 
Do <Não acredite em mim>

Inserido no pacote de concessões da gestão Doria, o Serviço Funerário do Município de São Paulo tem passado desde o início do ano, por uma série de denúncias mal esclarecidas e escândalos abafados.

Loteado para o PRB (Partido Republicano Brasileiro) após negociações em troca de apoio a João Doria no segundo turno das eleições no ano passado, não é segredo nos corredores da autarquia a má gestão do partido a cada tentativa de consertar as trapalhadas que ele mesmo comete.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Por que o IPTU de Salvador deve ser julgado inconstitucional?, por Karla Borges

Foto A Tarde

Por que o IPTU de Salvador deve ser julgado inconstitucional?

por Karla Borges

A Constituição Federal prescreveu algumas limitações ao poder de tributar com o intuito de preservar direitos fundamentais do cidadão contribuinte. As leis 8.464/13 e 8.473/13 que dispuseram sobre o aumento do IPTU de Salvador a partir do exercício de 2014 violaram princípios constitucionais consagrados, sobretudo o princípio da Legalidade Tributária.

É vedado aos municípios exigir ou aumentar tributo sem lei que o estabeleça. O aumento do IPTU de Salvador não foi instituído por lei, mas pela Instrução Normativa n. 12/13 de 20/12/13. Não poderia jamais a Lei 8.464/13 delegar ao Chefe do Poder Executivo a prerrogativa de anualmente publicar até 31 de dezembro as alíquotas progressivas dos imóveis, nem tão pouco os valores das parcelas a deduzir de cada faixa que sequer eram previstas nas tabelas contidas na lei. Seria uma inovação no texto aprovado através de um ato discricionário de um poder incompetente.

Leia mais »

Média: 4.3 (6 votos)

Alckmin quer passar 267 imóveis públicos para fundo privado

Ocupado desde 2014 por músicos, grafiteiros, fotógrafos, cineastas e atores, entre outros, o espaço tornou-se centro cultural

Por Cida de Oliveira

Da RBA

Depois de aprovar leis que autorizam a venda de fazendas experimentais e de áreas de conservação em várias regiões do estado, o governo de Geraldo Alckmin pretende agora transferir 267 imóveis para um fundo de investimento imobiliário a ser criado e administrado por empresas.

A ideia, anunciada no último dia 23, é criar um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) a partir da venda desses 267 imóveis públicos estaduais e assim formar um caixa para garantir que seus parceiros público-privados não fiquem no prejuízo caso algum desses projetos não sejam tão lucrativos para o setor empresarial.

É o caso da Linha 4-Amarela do Metrô. Se a tarifa paga pelos passageiros não garantir o lucro esperado ao consórcio ViaQuatro, o fundo pode ser acessado. Outro exemplo é a PPP Habitacional. Mesmo que haja inadimplência na compra ou nos serviços condominiais, o parceiro privado nunca fica no prejuízo.

Leia mais »
Média: 3 (8 votos)

A Guerra da Água: Caxambu e Cambuquira, por Arkx

A Guerra da Água: Caxambu e Cambuquira, por Arkx

a luta de duas pequenas cidades do Sul de Minas para manter como Bem Comum as águas minerais curativas.

vídeo: Vende-se a Pça. 16 de Setembro - Caxambu (MG)

 

vídeo: O Parque das Águas está no buraco? - Caxambu (MG)

Leia mais »

Média: 5 (7 votos)

Antes de assumir pasta de Doria, Natalini investigava irregularidades

Enquanto vereador, ex-secretário de Meio Ambiente relatou CPI sobre o caso e entregou dados à CGM pouco antes de ser demitido junto com a Controladora do Município

Jornal GGN - A demissão do ex-secretário do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, Gilberto Natalini (PV), uma semana após a exoneração da então controladora do município Laura Mendes pelo prefeito João Doria, ocorreu em meio a investigações de auditorias da CGM (Controladoria Geral do Município de São Paulo) com o apoio da pasta de Meio Ambiente sobre irregularidades da Prefeitura. O GGN identificou portarias da Prefeitura que facilitaram o setor de Transportes, Habitação e empresas estatais e privadas, e principalmente imobiliárias, a obterem termos de compromissos ambientais.

Entenda o caso

Seis dias antes do anúncio das demissões, uma quinta-feira, 10 de agosto, Natalini e Laura Mendes apresentavam a uma plateia de cerca de 80 servidores públicos e jornalistas o lançamento do "Programa de Integridade Pública e Boas Práticas".

"É um programa pioneiro, feito com excelência. A meta da Controladoria é melhorar constantemente a comunicação e a colaboração entre os órgãos da Prefeitura. Além disso, é importante ressaltar que o resultado desse projeto não teria sido tão bom se não houvesse todo o empenho da equipe do Verde", comemorava Laura. "É uma grande felicidade estar aqui hoje. Este é o primeiro caso de um programa de integridade em âmbito municipal que acontece no país. Precisamos expandir ações como essa", enfatizava Natalini.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Lancha vira na Baía de Todos-os-Santos e faz várias vítimas

Socorrista carrega bebê resgatado em Mar Grande, na Baía de Todos-os-Santos (Foto Xando Pereira - Agência A Tarde)

Jornal GGN – Uma lancha virou na travessia entre Mar Grande e Salvador, na Baía de Todos-os-Santos na manhã de hoje, quinta-feira. A Marinha confirmou o acidente. Até agora há confirmação de 23 mortos pela Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, inclusive um bebê. A embarcação chamada Cavalo Marinho I tinha capacidade para levar 160 passageiros, e transportava 129 quando ocorreu o acidente.

A Marinha resgatou cinco corpos e outras 17 vítimas foram resgatadas por embarcações particulares. Dos 89 passageiros resgatados com vida, 70 estão na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Mar Grande, 15 estão no Hospital do Subúrbio e dois no Hospital Geral do Estado.

Leia mais »

Média: 1 (1 voto)

PT pede que MP investigue viagens de Doria em horário de expediente

Jornal GGN – Uma representação no Ministério Público foi protocolada pelo Diretório Municipal do PT – São Paulo. O pedido é para que se investigue as viagens do prefeito João Doria em horário de expediente. Também é solicitada uma investigação sobre a utilização da estrutura da prefeitura para realizar as viagens e do grupo empresarial Lide na promoção dos eventos que o gestor de São Paulo participou.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Com cortes em São Paulo, Doria pode estar criando caixa para eleições


Foto: Leon Rodrigues / ASCOM- PMSP
 
Jornal GGN - O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou recentemente que a cidade está com um rombo de R$ 7,5 bilhões. Junto com a notícia, o secretário municipal da Fazenda, Caio Megale, anunciou cortes em todas as pastas, inclusive na Saúde e Educação, e quer rever o que chama de "desperdícios" de programas municipais. 
 
Reportagem de Rodrigo Gomes, da Rede Brasil Atual, entretanto, mostra que dados do orçamento municipal são positivos. Especialistas analisam que a medida de cortes nada mais é do que uma estratégia do prefeito tucano para criar fundo e aplicar os recursos no final de 2017 e início de 2018, quando candidatos à Presidência e governos estaduais organizam-se para as campanhas políticas.
 
"Ainda que os investimentos fiquem prejudicados, a falta de verba da União só justifica o congelamento das obras. Tudo que é despesa corrente – os programas existentes e ações cotidianas da prefeitura – não tem motivo para sofrer cortes. O governo tem de explicar isso", afirmou o ex-vereador Odilon Guedes, mestre em economia pela PUC, à RBA.
Média: 3 (4 votos)

Com assistência social em crise, secretário de Doria abandona audiência pública

João Doria e Filipe Sabará são acusados de desmontar os serviços de assistência social na cidade (Reprodução Facebook)

da Rede Brasil Atual

Com assistência social em crise, secretário de Doria abandona audiência pública

Filipe Sabará não quis ouvir os depoimentos dos trabalhadores e preferiu ir para outra reunião com dirigentes de corretoras de valores

por Luciano Velleda, para a RBA

São Paulo – Apenas o segundo representante da sociedade civil tinha usado o microfone quando o secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento social, Filipe Sabará, se retirou da audiência pública promovida hoje (21) para debater a crise da assistência social na cidade de São Paulo. A atitude revoltou as pessoas que lotavam o Salão Nobre da Câmara Municipal e surpreendeu até mesmo os vereadores membros da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania e Relações Internacionais.

Leia mais »
Média: 4 (4 votos)

Professores denunciam limite de merenda, Doria alega obesidade infantil

Jornal GGN – Professores da rede municipal de ensino de São Paulo denunciaram, em redes sociais e portais, que João Doria está limitando a merenda das crianças nas escolas. Segundo informação as crianças não poderiam repetir pequena merenda, mesmo pedindo, agravado pelo fato de que muitas passam necessidade em sua casa.

A professora da rede pública, Marcella Campos, que também é diretora da APEOESP, fez sua denúncia através do site Esquerda Diário, que logo ganhou as redes sociais. Diz ela que a prefeitura nega, mas que desde o início do ano professores e funcionários vêm denunciando a queda na qualidade e na quantidade da merenda servida. 

Leia mais »

Média: 4.3 (6 votos)

Servidores, pensionistas e aposentados discriminados por Pezão

do Blog do Pedlowski

Servidores, pensionistas e aposentados discriminados pelo (des) governo Pezão lançam carta pública de denúncia à população fluminense

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO FLUMINENSE

Os Servidores ativos, aposentados e pensionistas do Estado do Rio de Janeiro declaram à população:

O governador Luiz Fernando Pezão (ex-aluno de escolas públicas de Piraí), junto com seus secretários, escolheram contar ao povo que não há como quitar os salários. Escolheu mentir à população! E mais do que isto: ao invés de procurar por saídas, escolheu pagar alguns… dividiu uma luta que é de toda sociedade, escolheu deixar Universidades como a UERJ, a UENF, a UEZO, agonizando! Agonizando segue a saúde, sucateada com equipamentos sem manutenção e hospitais fechando ou reduzindo o número de leitos!

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Dória e o desmonte da Prefeitura


 

Dória e o desmonte da Prefeitura

Dória acaba com a participação e fiscalização da sociedade civil nos debates do Orçamento.

Confira abaixo a íntegra da nota divulgada pela secretaria executiva da Rede Nossa São Paulo contra o fim do CPOP:

Nota contra o desmonte do sistema de participação e fiscalização do orçamento público da cidade de São Paulo

O fim do Conselho Municipal de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) prejudica as políticas públicas e pode ampliar as desigualdades

A Rede Nossa São Paulo recebe com surpresa a informação de que a Prefeitura de São Paulo extinguiu o Conselho Municipal de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP). Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

Em ato contra privatizações, Doria é acusado de incentivar especulação

ato_doria_divulgacao.jpg

Foto: Divulgação

Da Rede Brasil Atual

 
"Aquele discurso de que Doria seria um gestor não é verdade”, disse o presidente municipal do PT, Paulo Fiorilo. Manifestantes realizaram ato para rechaçar agenda de concessões e privatizações

"Doria, que se diz trabalhador, vê sua máscara cair a cada dia. Ele está se mostrando um mentiroso. Se diz gestor, mas não é nada disso. Ele quer abrir mão de sua responsabilidade como prefeito, largando mão do patrimônio da cidade para a iniciativa privada”, afirmou o deputado estadual Alencar Santana (PT), em manifestação contra os projetos privatistas de autoria do prefeito da capital, João Doria (PSDB). Marcaram presença no ato lideranças políticas de oposição e movimentos organizados da sociedade civil.

Por volta das 14h30, os manifestantes tomaram totalmente o Viaduto Jacareí, no sentido Praça da Sé, em frente à Câmara dos Vereadores, que retomou as atividades hoje, após o recesso parlamentar. Os planos de autoria da gestão tucana rechaçados pelos protestos são: Projeto de Lei (PL) 364, que autoriza a concessão do Estádio do Pacaembu; o PL 367, que prevê uma série de privatizações e concessões, dentro do chamado “programa de desestatizações”; e o PL 404, que autoriza a venda de imóveis públicos com área igual ou inferior a 10 mil metros quadrados.

Leia mais »
Média: 3 (2 votos)

Ex-prefeito tenta barrar CPI na Câmara de Belo Horizonte

marcio_lacerda_-_valter_campanato_abr.jpg
 
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
 
Jornal GGN - Na última semana, Marcio Lacerda (PSB), ex-prefeito de Belo Horizonte (MG), conseguiu uma liminar para suspender a CPI que investiga a PBH Ativos S/A, empresa criada durante sua gestão na capital mineira.
 
A comissão foi aprovada em maio deste ano e tem como objetivo apurar irregularidades nas ações e a falta de transparência na empresa. A transferência de valores do patrimônio dos cofres da cidade para a PBH é apontada como um dos indícios de irregularidades. No total, foram transferidos R$ 1 bilhão para integralizar o capital da empresa.
 
Na ação judicial, Lacerda alegou que a CPI deveria ser paralisada porque teria como objetivo prejudicar sua imagem, já que os vereadores Pedro Patrus (PT) e Gilson Reis (PCdoB) foram oposição ao seu governo.

Leia mais »

Média: 4.3 (3 votos)