Revista GGN

Assine

Blog de J.Roberto Militão

Cotas Raciais e a mesquinharia do STF, por J. Roberto Militão

Foto Agência Brasil

Cotas Raciais e a mesquinharia do STF

por J. Roberto Militão

TSE e STF e os julgamentos a ´la carte´

Além da vergonhosa deliberação do TSE que violou o dever de zelar pela legitimidade e espontaneidade da vontade eleitoral dos brasileiros que não pode ser violado nem induzido pelo uso abusivo do poder econômico e do poder político conforme sucedeu nas eleições presidenciais de 2014, na mesma data a legitimação constitucional das leis de COTAS RACIAIS é outra perversão dos direitos individuais que está sendo violado, agora pela Suprema Corte, a quem compete zelar pela integralidade da mens constitutiva – ou seja o sentimento nacional constituinte.

Concomitante com o ´julgamento´ do TSE também o Supremo Tribunal Federal, cometeu mais uma de suas deliberações mesquinhas. Também por unanimidade decidiu favorável às leis de ´cotas raciais´ em concursos públicos. Já havia decidido por unanimidade as leis de cotas raciais para ingresso nas universidades.

Leia mais »

Média: 1.7 (19 votos)

Racismo Institucional X Tribunal de Justiça, por J. Roberto Militão

Imagem Geledés

Racismo Institucional X Tribunal de Justiça

por J. Roberto Militão

OS BENEFICIÁRIOS DO RACISMO E MACHISMO INSTITUCIONAL IRÃO JULGAR!

Em São Paulo, o racismo e o machismo institucional excluem 70% da população. Por isso restante 30% de homens brancos são os beneficiários e ocupam 95% dos cargos, empregos e oportunidades de maior status. No estado, em que 51% são mulheres e 37% são pretos e pardos, no Tribunal de Justiça, 95% dos Desembargadores são homens brancos que representam 30% da população.

Essa será a segunda vez que sustento tal denúncia perante o Tribunal de Justiça. Na primeira, em 2004, numa exceção de verdade contra um Juiz, diante da Corte Especial (25 desembargadores mais antigos do TJ), todos os cultos velhinhos eram homens brancos, Não enfrentaram o mérito, declarando a prescrição da punibilidade do delito então apontado.

Leia mais »

Média: 5 (6 votos)

STF e Juiz algum tem direito a legislar: aborto é crime diz o Código Penal e CF/88

STF não tem direito a legislar. ABORTO É CRIME!

Não se trata de uma questão de fé religiosa. Trata-se da maior conquista da humanidade, sobretudo, através do iluminismo, que consagrou os direitos naturais do ser humano. O direito à vida é o mais elementar deles. Sem a vida não há nenhum outro direito. Neste post tratamos da decisão judicial do Supremo Tribunal, que, violando a constituição está legislando sob tema não autorizado pela sociedade. A discriminalização do aborto provocado.

Um exemplo, absurdo, porém factível: uma jovem mulher fica grávida de um filho de um multimilionário que já tem dois filhos. Para não ter um terceiro herdeiro dividindo a herança, o homem ou algum de seus filhos paga 1 milhão por um aborto. E se a gestante tem o poder de decisão a vida do nascituro deixa de estar sob a proteção da sociedade. Isso é justo? Pode a sociedade facultar tal hipótese?

Creiam isso acontece na vida real! E a sociedade não pode ser omissa. Muitos defensores do aborto se escondem no argumento que basta a descriminalização do aborto. Com isso o ato passaria a ser uma questão de foro íntimo. Porém, a sociedade não entende assim. Leia mais »

Sem votos

COTAS RACIAIS: Fundação Ford e as políticas públicas de segregação por direitos raciais

Prezados

Sei que muitos colegas comentaristas pertencem à respeitável categoria dos bem- intencionados defensores de ´cotas raciais´ no Brasil e eu, na condição de afro-descendente e ativista contra o racismo, um radical contrário a esse tipo de políticas públicas baseada na segregação de direitos raciais.

Porém, de boas intenções o inferno está cheio, diz a sabedoria popular. Vejamos aqui o papel da Fundação Ford nas políticas públicas com segregação de direitos em bases raciais. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

OBAMA LÁH! publicado em 18-01-2008 - ´www.afropress.com.br´

 novo

Sem votos

O RACISMO NO BRASIL, prof.MILTON SANTOS

Texto inédito do prof. Milton Santos: "Como é ser negro no Brasil"

http://www.cafecomsociologia.com/2016/02/texto-inedito-e-incrivel-do-grande.html

 

https://1.bp.blogspot.com/-M113I6dGJ_w/VtRhXWcj5gI/AAAAAAAAJjE/eFP9GNANRys/s640/ban_biografia.png

 

Como é ser negro no Brasil* (texto inédito)

 

Por Milton Santos (transcrição):

 

Eu tive a sorte de ser negro em pelo menos quatro continentes e em cada um desses é diferente ser negro e; é diferente ser negro no Brasil.

  Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

TRANSIÇÃO DEMOCRÁTICA com DILMA

Uma proposta de governo de transição

Leia mais »

Sem votos

Territórios da 'raça' branca?, por J. Roberto Militão

Por J. Roberto Militão

Um projeto da CIA - USAID:

Quando nos anos 2000/2012, na condição de ativista contra o racismo, participei ativamente da postura crítica contra a adoção de ´cotas raciais´ por imposição compulsória estatal, através de leis, com equivocado apoio do governo Lula , significava o estado promovendo a odiosa segregação de direitos raciais - as cotas raciais - denunciaava que se tratava de um embuste: era a doutrina racialista norte-americana que, através das Foundacio´s Ford, McArthur, Rockefeller e outras investiram centenas de milhões de dólares formando uma elite intelectual de defensores de direitos raciais, para cumprir um desígnio da inteligência ianque, conforme dizia o saudoso prof. Milton Santos: nos retirar uma vantagem competitiva na destruição do racismo que é a ausência de ódios raciais propulsores de conflitos.

O mundo acadêmico sempre soube que a inteligência norte-americana utiliza agressivamente as Foundacion´s para influenciar políticas culturais, acadêmicas, artísticas e educacionais visando aprofundar os ideais imperialistas ianque.

Sempre entendi e defendi que para a inclusão de pretos e pardos nas universidades, conforme a principal alegação, bastavam as ´cotas sociais´, pelo critério da renda familiar per capita sendo os afro-brasileiros 70% da população mais pobre, bastavam as ´cotas sociais´ com a reserva de 50% das vagas nas universidades públicas para os mais pobres.

E denunciava que o objetivo maior não era a inclusão: era a adoção de ´direitos raciais´ para o rompimento da idéia republicana do tratamento igual perante a lei - a tal isonomia com equidade - pois com as ´cotas sociais´, os todos os jovens pobres pretos, pardos ou brancos oriundos do mesmo ambiente social, da mesma escola pública disputariam as vagas em igualdade de condiçoes. Se 70% dos pobres são afro-brasileiros, a ponderação é que 70% de 50% das vagas, representariam a inclusão potencial de 35% de pretos e pardos nas universidades. 

Leia mais »

Média: 2.2 (10 votos)

´Dia da Consciência Negra´ é um engodo, dizia o prof. MILTON SANTOS

O engodo da tal ´CONSCIÊNCIA NEGRA´ - prof. Leia mais »

Sem votos

Dia de Zumbi de Palmares

Por J.Roberto Militão

A equivocada designação do dia da ´Consciência Negra´ retira o maior significado da data histórica hoje celebrada: a justa homenagem a ZUMBI DE PALMARES, o primeiro herói brasileiro a lutar e morrer pela independência e por liberdades contra a escravidão e contra a Coroa Portuguesa. 

Designar 20 de novembro como da ´Consciência Negra´ é um projeto racialista, que seduz a academia e ativistas submissos aos projetos financiados pelas Fundações norte-americanas visando reforçar nos afro-brasileiros uma identidade ´racial´ que não temos, o que foi um propósito do racismo desde o século 18. Mesmo a designação do movimento da "consciência negra" é um intencional erro de tradução de cunho racista.

A linguagem racista prefere designar os afrodescendentes como ´negros´ - uma designação racial indigna pois se refere a uma ´raça inferior´ - sonegando assim a humanidade das cores da melanina presente em todos os humanos que podem ser brancos, pretos, pardos, amarelos ou vermelhos. A designação de africanos por ´negros´ é um típico rótulo empregado pelos ideais do racismo no século 18, a fim de designar a ´raça inferior´ - raça ´negra´ - destinada à escravidão com tal designação aviltante e degradante, conforme o art. 10 da lei de Marquez de Pombal ´Directório do Índio´ de 1755.

Diz a lei pombalina editada em proteção aos índios, até então escravizados e designados ´negros da terra´: - "art. 10 - Entre os lastimosos princípios, e perniciosos abusos, de que tem resultado nos Índios o abatimento ponderado, é sem dúvida um deles a injusta, e escandalosa introdução de lhes chamarem Negros; querendo talvez com a infâmia, e vileza deste nome, persuadir-lhes, que a natureza os tinha destinado para escravos dos Brancos, como regularmente se imagina a respeito dos Pretos da Costa da África. E porque, além de ser prejudicialíssimo à civilidade dos mesmos Índios este abominável abuso, seria indecoroso às Reais Leis de Sua Majestade chamar Negros a uns homens, que o mesmo Senhor foi servido nobilitar, e declarar por isentos de toda, e qualquer infâmia, habilitando-os para todo o emprego honorífico: Não consentirão os Diretores daqui por diante, que pessoa alguma chame Negros aos Índios, nem que eles mesmos usem entre si deste nome como até agora praticavam; para que compreendendo eles, que lhes não compete a vileza do mesmo nome, possam conceber aquelas nobres idéias, que naturalmente infundem nos homens a estimação, e a honra."

Leia mais »

Média: 3.2 (9 votos)

UM PACTO NACIONAL e o fora CUNHA

 

O Brasil precisa desse Pacto de Transição, antecipando 2018 para 2017. A redução de um ano de mandato e a prorrogação dos mandatos de prefeitos para um ano, viabilizam as eleições gerais que reorganize a expressão majortária de poder para conduzir a nação para as reformas necessárias. Leia mais »

Sem votos

Em 1968, a solidariedade do homem branco contra o racismo

Por J.Roberto Militão

OLIMPÍADAS DO MÉXICO 1968 - A foto-denúncia do racismo

:

Essa é uma história fantástica e exemplar de solidariedade pelos direitos humanos e denúncia contra o racismo então vigente nos EUA e outros países como a África do Sul e Austrália, pelo qual o atleta branco pagou caro pelo simples gesto de solidariedade: ele não ergueu os punhos. Apenas apoiou o gesto usando o mesmo broche do movimento pelos direitos humanos. Logo após o fim da 2a guerra mundial e as denúncias dos crimes raciais do nazi-facismo, a segregação de direitos raciais por ação estatal era uma violência que exigia a oposição radical que os Panteras Pretas representaram nos anos 1960/1970 (somente o racismo da academia brasileira traduz Blacks Panthers como Panteras ´Negras´ - (a pele humana pode ser preta, branca, vermelha, amarela e os pardos são os miscigenados).

Essa foto, de 1968, ´O Ano que não terminou´ (Em 1968 se morria de tudo, menos de tédio”, Zuenir Ventura) ela correu o mundo e continua sendo uma das mais reproduzidas, pelo simbolismo e coragem dos atletas. Foi registrada na XIX Olimpíadas, na cidade do México, a primeira Olimpíada na América Latina,  é histórica - e será reverenciada para sempre - pois o gesto com os punhos fechado simbólico do grupo radical afro-americano Blacks Panthers na época em que fervia nos EUA a luta contra as discriminações e se exigia a revogação das leis de segregação de direitos raciais. Em 1965, MALCOLM X fora executado por pretos racistas, sob acusação de ter abandonado a radical luta contra os brancos ao divulgar a ´Carta de Meca´ em que abandonava o radicalismo. Em abril de 1968, o pacifista e prêmio Nobel da Paz, Doutor MARTIN LUTHER KING JR também fora assassinado.

Leia mais »

Média: 3.7 (6 votos)

Afro-brasileiros não são imigrantes: uma mentira institucional

 José Roberto Militão compartilhou a  Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

A raça 'branca' ou 'negra'? Simples: a espécie humana

Sugestão de J. Roberto Militão

Nadine Morano, a dirigente dos Republicanos, que declarou que o povo francês é de raça branca, sendo afastada das listas das próximas eleições regionais

Nadine Morano, a dirigente dos Republicanos, que declarou que o povo francês é de raça branca, sendo afastada das listas das próximas eleições regionais
REUTERS/Eric Gaillard
 
do RFI
 
 
João Matos

No programa Vida em França vamos analisar a questão do racismo e a polémica em torno das declarações de Nadine Morano, dirigente dos Republicanos liderado por Sarkozy de que o povo francês é de raça branca.

Estas declarações feitas há uma semana monopolizaram os debates nas televisões, rádios e imprensa em França, o que levou com fosse convocada pelo líder dos Republicanos, Sarkozy,  que queria que ela pedisse desculpas.

Nadine Morano, que é conhecida pelas suas provocações e derrapagens verbais, escudou-se numa declaração do general De Gaulle, fundador da quinta República e herói nacional, segundo a qual, "o povo francês é de raça branca e de cultura judaico-cristã"  que, portanto, não pediria desculpas.

Em consequência disto, o líder do partido Republicanos, Sarkozy, eliminou Morano, das listas das eleições regionais de dezembro.

Leia mais »
Média: 4 (4 votos)

2013: Não era apenas pelos R$ 0,20, por J. Roberto Militão

Por J. Roberto Militão

Transporte Público é direito social na Constituição

NÃO ERA APENAS ´PELOS R$ 0,20´ a juventude dizia em JUNHO/2013.

O que era então?? R: era por garantir um direito social negligenciado.

A incrível Deputada LUIZA ERUNDINA-PSB, comprometida com a dignidade dos trabalhadores, desde 2011 batalhava com muita garra, no Congresso Nacional para aprovação da Emenda Constitucional nº 90, finalmente promulgada ontem dia15/9.

Tal Emenda foi impulsionada pelas ´jornadas de Junho2013´, cujo lema dizia: "Não é apenas por R$ 0,20" ... Era, portanto, por muito mais: a garantia do transporte público como ´direito social´ dos brasileiros,

Erundina nos legou um direito social que será cláusula pétrea, jamais será retirada da Constituição Federal. Com a promulgação da EC nº 90, de 15 de setembro de 2015 agora inscrito no art. 6o da CF/1988. O novo texto do art. 6o CF, ficou assim:

"Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição."

Leia mais »
Média: 3.5 (15 votos)

Uma proposta de governo de transição democrática: com Dilma


NASSIF, 

há quase um ano, em 18/4/14, antes da convenção do PSB (foi em junho) publiquei aqui um artigo em que, na condição de membro do PSB, defendia dentro do partido o nome de MARINA SILVA para a cabeça de Chapa do PSB, com Eduardo Campos de Vice a fim de ser levada aos brasileiros uma campanha exclusiva de um governo de transição democrática.

A conjuntura desde 2013, ao ver de Eduardo Campos, apontava para uma verdadeira herança maldita para o futuro presidente a ser eleito, qualquer um que fosse.

Então, em 2014, para viabilizar um governo de ´Reformas e Transição Democrática´  MARINA se comprometeria a um mandato de três anos, sem postular reeleição e entregaria a EDUARDO toda a gestão política da transição.

Aqui o artigo do ano passado:http://jornalggn.com.br/fora-pauta/psb-por-um-governo-de-salvacao-nacional

Em março/15, neste momento de perplexidade à direita e à esquerda, ouso relembra-lo, pois, a despeito da tragédia com Eduardo (se tivesse me ouvido estaria vivo, articulando o governo de transição democrática), pois a pertinência política, continua cada dia mais evidente.

Leia mais »

Média: 2.1 (33 votos)

O longo fim da escravidão humana

Datas da abolição da escravidão no mundo e nos países americanos

Sempre tive curiosidade destes dados, assim, sistematizados numa cronologia sintética. Eles revelam a longa agonia, ainda inconclusa, para a destruição do sistema fundado no pior sentimento humano: baseado num perverso direito de violação e degradação da dignidade humana das vítimas.

Edificado em meados do Século 16, com profundas raízes filosóficas na falsa tese aristotélica defendida pelo filósofo católico Juan Ginés de Sepúlveda (no Tribunal de Valladolid, 1551/1552) - a da existência de escravos por natureza - a mesma tese que serviu à ideologia do racismo a partir do século 18 e ainda hoje é utilizada para justificação de direitos raciais segregados ("tratar igualmente os iguais e com desigualdade aos desiguais", seria a verdadeira justiça, pensava Aristóteles). Para a sociedade de Atenas: cidadãos seriam tratados como cidadão; escravos mereciam ser tratados como escravos. "Se as pessoas não são iguais não merecem receber igual tratamento" ensinava em Carta a Nicômaco.

Leia mais »

Média: 2.3 (3 votos)

A tal ´governabilidade´ e a salvação do PT:

Quando construía usa candidatura com nítido caráter de 3ª via, EDUARDO/PSB repetia e repetia: qualquer um que ganhar em 2014 não terá condições de governar sem a busca de uma sincera e robusta mesa de consensos.  “Os velhos caciques temos que manda-los para a oposição, para a aposentadoria ou para a cadeia” constumava dizer. Leia mais »

Sem votos

PSB com AÉCIO: a salvação do PT

O prof. ROBERTO AMARAL foi retirado da presidência do PSB em razão de se opor à decisão partidária de prosseguir contemplando o desejo de ´mudanças´ que EDUARDO, somando com MARINA, abraçou desde 2013 para atender um sentimento nacional. Na decisão da direção nacional do PSB o então presidente e a digna Deputada ERUNDINA defenderam a neutralidade socialista. As bases do partido não admitiam a omissão, pois vivemos uma quadra política que nos exigia a decisão e não a omissão. Leia mais »

Sem votos

ANTIRRACISMO: Um compromisso de avô

Sem votos

MARINA-PSB: a 3ª via por um novo pacto republicano

O processo eleitoral de 2014 caminha para sua quinzena final. Todas as pesquisas indicam que MARINA-PSB x DILMA-PT disputarão a preferência eleitoral. Se os brasileiros escolherem a continuidade com PT darão o voto de confiança em DILMA. Se confirmarem que preferem mudanças, votarão em MARINA representando a 3ª via do PSB. 

Porém, para se edificar condições políticas para as mudanças, somente será possível num governo de transição democrática, em que os grandes partidos, PT, PSDB e PMDB, precisam construir um consenso majoritário. Leia mais »

Sem votos

Será que você não é racista? Faça um teste, por J. Roberto Militão

Por J. Roberto Militão

SERÁ QUE NÃO SOMOS TODOS RACISTAS: faça esse teste!

Hoje de manhã (6/9) meu filhote GUTO MILITÃO contava que ontem na escola assistiu ao filme de NELSON MANDELA - ´Invictus´ com Morgan Freeman. E juntos assistimos a outro filme "COLOR OF FREEDOM"  - que mostra a fase dura dos anos na prisão, dos castigos, da solitária, do isolamento e tudo que passou para a luta de MANDELA e suas razões contra o regime de apartação racial, pelas quais doou sua mocidade com 27 anos de prisão racista.

Agora recebi esse artigo: "Seríamos todos nós um pouco racistas?” Me lembrei do episódio do goleiro Aranha, e suas repercussões e com esse artigo, excelente, para a reflexão: ao final, faça o teste! 

Enviado por um jovem de comunicações, tem uma abordagem feita por estudos afro-americanos para os jornalistas e o domínio dos ´homens brancos´ nas redações: uma reflexão, a quem queira refletir.

Para enfrentamento dessa exclusão de pretos e pardos das redações, como sou radicalmente contrário a que se faça por leis de compulsória segregação de direitos raciais – cotas raciais – (pelos efeitos colaterais: exige a figura da ´raça´ estatal), vejo que o jornalismo como instituição precisa ser incentivado a promover a diversidade humana em suas práticas de recursos humanos: dê a oportunidade e ganhe com a diversidade. Com a diversidade humana e não a diversidade racial como tem feito o governo ao estimular pertencimentos raciais. Os humanos não possuem ´raças´ e o estado não tem o direito de legitimar o núcleo da ideologia racista que é negar a unicidade da espécie humana.

Leia mais »
Média: 3 (15 votos)

AECIO/PSDB pode desistir do 2º turno?

PARA QUE 2º TURNO?

Excelente o comentário do petista histórico ao dizer que não é nada demais, para um grande partido, disputar e perder uma eleição pois a alternância de poder que virá inclusive renovar as bases de lideranças do PT. Todos que vivem o ambiente político sabemos que desde o escândalo do mensalão, a Pasadena e André Vargas/Yousself, o fogo amigo tem atuado na disputa interna do partido do governo. A alternância de poder é uma das melhores virtudes da democracia.

Pelo bem do Brasil, a tragédia e a fortuna colocaram à disposição dos brasileiros a candidatura do PSB no colo de MARINA e que poderá edificar um governo de coalizão e transição democrática se confirmar o favoritismo consagrado pela opinião e voto da maioria dos cidadãos.  Leia mais »

Sem votos

MARINA: um marco global para a sustentabilidade

Ao contrário dos alertas e terrorismo típicos de fanáticos na disputa eleitoral, não há risco nenhum na eleição de MARINA, haverá sim um impacto de proporções mundial, no mesmo nível de representação de ´novidade´ política, mais ainda que as eleições de FHC, MANDELA, LULA e OBAMA. E hoje as novas pesquisas eleitorais serão divulgadas em que a população brasileira demonstra acreditar no sonho de edificação de um mundo melhor com ênfase no desenvolvimento sustentável a partir de um novo jeito de se fazer a política no Brasil.

Não são raros os exemplos de grandes lideranças que mudaram a história sem antes terem uma prévia carreira política de governantes afiançando o êxito administrativo. Além dos referidos FHC, LULA e OBAMA, podemos lembrar-nos de MICHELLE BACHELLET, CRISTINA KICHNER, NELSON MANDELA, FIDEL CASTRO e o mais evidente, mais recente e dimensão de poder que foi eleito para exercer: o sociólogo BARACK OBAMA. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

"Não vamos desistir do Brasil": os ideais de EDUARDO seguirão com MARINA SILVA

Louvável a iniciativa do probo Eduardo Jorge/PV - ao requerer ao Tribunal Superior Eleitoral - para admitir mais tempo para o PSB se preparar para a disputa presidencial sonhada por EDUARDO CAMPOS sendo, pois tal medida necessária e indispensável para a importância do momento político e dos desafios que a sociedade brasileira espera seja enfrentada sem precipitações e sem improvisos. Como o Tribunal não tem o poder para alterar a lei vigente, esse tempo pode ser conferido com a permissão de imagens de arquivos da pré-campanha eleitoral.

O sonho ideal era que as bandeiras de mudanças, reformas e de um ´novo modo de fazer política´, contasse com a soma da seriedade e firmeza de propósitos da sonhática MARINA somadas com a liderança, determinação e capacidade política de EDUARDO, sonho pelo qual ele deu sua própria vida. Leia mais »

Sem votos

Já comprou seu direito a ´cotas raciais´? Oportunidade promocional

Todos somos Afrodescendentes. Certo? Então comprove com certificação científica.

Vejamos como o estado pode fazer a degradação da nossa condição humana.

- Graças a lei, temos agora o comercio by DNA... para exercer direitos ´raciais´... os preços são promocionais!!! Leia mais »

Sem votos

JUSTIÇA e SUSTENTABILIDADE, Min.Luis Roberto Barroso,ONU.

Desenvolvimento, com Justiça

Ministro Barroso do STF na ONU: Desenvolvimento sustentável deve ter a justiça como elemento essencial

Veja a íntegra da apresentação do ministro na ONU.  23 de junho de 2014

http://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI203146,101048-Ministro+Barroso+D... Leia mais »

Sem votos

JUSTIÇA e SUSTENTABILIDADE, Min.Luis Roberto Barroso,ONU.

Desenvolvimento, com Justiça

Ministro Barroso do STF na ONU: Desenvolvimento sustentável deve ter a justiça como elemento essencial

Veja a íntegra da apresentação do ministro na ONU.  23 de junho de 2014

http://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI203146,101048-Ministro+Barroso+D... Leia mais »

Sem votos

PSB-REDE/PPS: Programa de Reformas x Programas de Governo

PSB-REDE/PPS: ´Programa de REFORMAS´ x ´Programas de Governo´. Leia mais »

Sem votos

13/Junho: um ano das prisões políticas do MPLivre

Por José Roberto Militão

Ontem, 13 de junho, fez um ano das primeiras prisões políticas decorrentes do Movimento Passe Livre, cujas prisões, arbitrárias, significou o sinal de alerta geral para a sociedade que, a partir de então, saiu às ruas e sacudiu as estruturas da nação. Como movimento não orquestrado, sem lideranças carismáticas, era apenas um povo indignado. Até descambar, e perder o charme do voluntarismo ao ser instrumentalizados por organizações políticas e interesses da mídia em desestabilizar o governo central.

Ao deflagrar o movimento MPL no dia 7 de junho, os governantes, nos três níveis, engrossaram a voz: o governo federal, pelo Ministro Cardoso da Justiça, colocou as forças federais à disposição; o governador e o prefeito disseram que não iriam rever o aumento do preço das passagens. 

Ficou a lição para a sociedade e para os governantes. A nossa juventude despertou para os embates políticos e sociais. O Brasil já não é o mesmo de antes de junho/2013. Já não dorme em berço explendido. E os reflexos nos protestos da ´Copa das Copas´, representam isso.

Os brasileiros, dessa nova geração, estão reaprendendo a ´Caminhar e Cantar´, braços dados ou não.

Leia mais »

Média: 2.1 (11 votos)