Revista GGN

Assine

A propósito de Luís Nassif em "A guerra entre os poderes", por Rui Daher

A propósito de Luís Nassif em "A guerra entre os poderes"

por Rui Daher

Se o leitor ouviu nesta semana as observações de Luís Nassif, percebeu estarmos em situação igual ou pior do que nos primeiros anos pós-ditadura. Na minha debochada opinião, apesar de tragédia, ao menos mais patética e risível, pelos personagens e corrupção nela envolvidos.

O jornalista acredita que se um grande pacto nacional não for feito, a decomposição do tecido social continuará, e esse desandar poderá terminar em nova intervenção militar.

Mas como se formará esse pacto? Neste ponto, todos nós começamos a coçar a cabeça, confusos. Com Temer a se estrebuchar em todos seus malditos atributos viscosos? Indicação indireta de Rodrigo “Luluzinha” Maia, Cármen “Nosferatu” Lúcia, ou de notas 6,5 vindas de nenhuma legitimidade? “Diretas Já”, Lula preso ou impedido de concorrer?

Sim, sem dúvida, o País só sai dessa, como quer Nassif, com um grande pacto nacional, mesmo que sirva apenas para recuperar os 10 anos de irresponsável atraso pós-impeachment de Dilma Rousseff.

Todas as referências que se tiver sobre o advogado, magistrado e político paulista Flávio Flores da Cunha Bierrenbach serão boas. Ficou no melhor do (P)MDB que se contrapunha à ARENA. Não migrou para o PSDB, sabendo que Montoro e Covas não resistiriam à vaidade de Fernando Henrique nem às vilanias de Serra e asseclas, ou brigas, omissões e traições internas.

Presos políticos, nos defendeu, em São Paulo, como o fizeram Ideval Pivetta e José Carlos Dias; Marcelo Cerqueira, no Rio de Janeiro; Tarso Genro, em Porto Alegre; outros tantos, Brasil afora. Vereador, deputado estadual e federal, de 1977 a 1987, por São Paulo, foi também, quase 10 anos, ministro do Supremo Tribunal Militar (2000 a 2009), indicação de FHC.

Com Ulysses Guimarães, se tornou um dos principais articuladores da Anistia e da Assembleia Nacional Constituinte, alocuções firmes nos mais graves momentos da história do País.

A par do que disse Luís Nassif, de meu lado, em 13/06, ouvi entrevista dada a Roxanne Ré, apresentadora do Jornal da USP, pelo jurista e professor de Direito Constitucional, Flávio Bierrenbach.

Em resumo, considera inconstitucional e passível de recursos o resultado do julgamento da chapa Dilma-Temer pelo Supremo Tribunal Eleitoral, ainda mais que solicitado por um partido (PSDB), nas palavras dele, “covarde”. Trabalha firmemente com outros juristas, como Modesto Carvalhosa e José Carlos Dias, para a formação de uma nova Assembleia Nacional Constituinte, que mais tarde seria levada a plebiscito popular para aprovação de um novo Estatuto da Nação.

Flávio Bierrenbach considera essa a maior crise de nossa história, que não poderá ser resolvida por um Congresso sem legitimidade para propor reformas, pouco livre ou soberano, o Judiciário eivado de interesses políticos, a economia voltada exclusivamente para a financeirização.

Em sua proposta, eventuais participações dos atuais membros do Congresso na Constituinte, se dariam mediante renúncia de seus atuais mandatos e comprometimento de oito anos sem se candidatar a cargos eletivos.

Se a saída para o País é através de um grande pacto nacional, não seria essa a melhor proposta? 

Entrevista

http://jornal.usp.br/atualidades/tse-tera-que-se-mostrar-como-verdadeiro-tribunal-para-a-sociedade/

Imagens

Média: 4.2 (10 votos)
18 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Concordo com o André, que a

Concordo com o André, que a ideia tem mais BELEZA E IDEALISMO do que praticidade e possibilidade real de ser levada a efeito, por UM motivo específico: os atuais deputados e senadores não permitirão uma eleição geral que signifique a perda de seus mandatos, além da própria Globo e de todos os representantes do grande capital, que querem as reformas do trabalho e da previdência concluídas a qualquer custo. O golpe não foi dado por "questões políticas", é óbvio, o interesse real é FINANCEIRO, a entrega dos ativos, o desmonte dos programas sociais, etc. Uma assembléia constituinte traria novos rumos ao país, tudo o que os golpistas não querem..... Se já é quase impossível o tal "acordão" defendido pelo Nassif e muitos de nós, que dirá uma mudança de tal magnitude..... É como a briga pelas "diretas já", aprovo, posso gritar junto nas ruas, mas ciente de sua impossibilidade no Brasil de HOJE, e no curto prazo, se não houver uma verdadeira tomada das ruas pelo povo, o que não parece provável......

Seu voto: Nenhum

Muito mais fácil concordar com não-propostas,

embora, já tenha respondido em outro artigo, então o quê? Nassif fala em Acordo/Pacto Nacional ou intervenção militar, eu me pronuncio sobre uma hipótese de mecanismo levantada por juristas, e tomo um monte de porrada, propondo nada, nada e mais nada. Então, repito, fazer o quê, Eduardo? Ficarmos escrevendo em blogs e redes sociais que isto não, isso também não, aquilo ainda não, e não, não, não. Uma proposta, por Deus e um exemplar do Dominó de Botequim, pelo menos, que "Deus dará e não dá, e eu já estou de saco cheio" (Chico)A

Abraços 

Seu voto: Nenhum

O pacto (2)

LAVA A JATO: “VISITA DA SAÚDE” (ANTES DA MORTE) – A DELAÇÃO DOS BANCOS POR PALOCCI

Por Romulus & Núcleo Duro

Aí vocês me perguntam:

- Mas então você está tranquilo, Romulus?

E eu respondo “tranquilamente”:

- Não: estou APAVORADO!

Enquanto o Dallagnol e cia. não entenderem que em Banco não se mexe (e eles não entenderam ainda, como verão mais abaixo...) e não aprenderem o que é "too big to fail", "risco sistêmico", corrida bancária e "alavancagem" de instituições financeiras (falidas contabilmente “de fato”), estamos correndo um ENORME risco.

Imagina quantos novos seguidores o Dallagnol não pensa que vai ganhar no Twitter falando que "prende e arrebenta"...

- ... os Setúbal/ Aguiar/ Safra/ Dantas/ Esteves??

Bancos:

- Ruim com eles...

- ... HOLOCAUSTO NUCLEAR sem eles!

 

LEIA MAIS »

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

O pacto (1)

“ACORDÃO”: COMEÇA O FIM DA LAVA JATO (“TOO BIG TO FAIL”, ESTÚPIDO!)

Por Romulus & Núcleo Duro

- A Medida Provisória que permite ao Banco Central celebrar acordos de leniência – secretos! – com os Bancos muda o jogo.

- Esvazia sobremaneira o poder de chantagem da Força Tarefa da Lava a Jato – e de Palocci! – sobre o Mercado: a “bomba atômica” está em vias de virar uma...

- ... biribinha (!)

- Esse fato – tomado isoladamente – é ruim para o PT. E para Lula (!)

- Mas...

- Sempre se pode contar com a estupidez dos Procuradores de Curitiba. Eles que – até agora! – ainda não entenderam que o Acordão é...

- ... I-NE-VI-TÁ-VEL!

- Por quê?

- Ora, “é o too big to fail, estúpido!”.

- No caso, literalmente “estúpidos” M E S M O.

 

LEIA MAIS »

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Não dá para fazer pactos

Não dá para fazer pactos entre forças desiguais, com ladrões,

entreguistas, com fascistas. À direita não há um político colocado

que se possa ter a confiança necessária a tratativas de acordos.

 

 

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Leituras importantes.

Antes devo dizer que leio quase tudo que Rui,Nassif, André, Eugênio, entre outros que tais escrevem.

É gratificante e enriquecedor de conhecimento. Só tem um problema, que é o fato de nenhum avançar

no diagnóstico, do que realmente se passa, atualmente no atacado da política mundial. Está faltando

explicitar e ampliar aquilo que AA sugere muito vagamente nas entrelinhas dos seus textos.

Tambem é verdade que os blogs não contituem espaço adequado para análises mais comprometedoras.

Caro Rui Daher, vamos conversar uns minutos tete a tete?

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de ze sergio
ze sergio

leituras....

Pacto Nacional com quem, carissimos srs? Seria cômico, antes trágico e aterrador como nossas Elites não se enxergam elites, esquerda que não é esquerda, problema que não é problema, ditador que não é ditador, criminoso que não é criminoso. 40 anos de pilhagem e agora vem e dizem: "precisamos fazer alguma coisa ou o país será e continuará sendo rapinado". Quem carcaça e quem carcará nestas décadas todas? Quem reescreveu a Constituição? "Santos"? Por que estão mortos? Todos prestam quando vão para o caixão. Até nefastos como Covas ou Tancredo. Este seria a salvação contra Paulo Maluf, o tal corrupto e ladrão. Jogando já a prorrogação deixará empresa centenária de milhares de empregos. Covas e Tancredo deixaram as tais famílias e a nossa certeza da honestidade genética. Mas o mais inacreditável nestas soluções que insistem nas mesmas quadrilhas e facções de anticapitalistas honestas como solução, sem a sociedade, sem eleições facultativas, sem transparência, sem plebiscitos, sem referendos. Com urnas eletrônicas em eleições ditatorialmente obrigatórias com biometria, mantendo estruturas e cargos públicos para sustentar nossa única elite nacional. Nossa elite esquerdopatat não se emenda mesmo !!!   

Seu voto: Nenhum

Nem todas as referências a Flávio Bierrenbach são boas, caro Rui

Nem todas as referências a Flávio Bierrenbach são boas, caro Rui

GOLPISTA de primeira hora contra Dilma, triste papel do qual até se gabou, e, ao mesmo tempo, BAJULADOR de Temer, o chefe da quadrilha que assaltou o poder: "O ministro aposentado Flávio Flores Bierrenbach, ex-integrante do Superior Tribunal Militar, afirmou que foi de seu discurso do ano passado que teve início um movimento concreto em apoio ao processo de impeachment de Dilma. Ele disse ter sido porta-voz de um grupo preocupado com “o flagelo ético” do país, que inspirou o pedido protocolado na Câmara dos Deputados pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior e pela advogada Janaina Paschoal." (em 11/08/2016 - v. http://www.conjur.com.br/2016-ago-11/almoco-ex-alunos-usp-une-saudosismo-trovas-elogios-temer ).

Um sujeito - Bierrenbach - cujos rosnados golpistas já eram ouvidos como seguidor dà cachorrada inicial do gangster Cunha ( em 22/12/2015 - v. https://jota.info/jotinhas/flavio-bierrenbach-deixa-ajd-apos-comunicado-contrario-ao-impeachment-22122015 ), quando se desligou da AJD - Associação dos Juízes para a Democracia - ao se ver derrotado numa pesquisa entre os sócios, que, em grande maioria, repudiavam o golpe do impeachment. Grande democrata, não? Sua saída, pelo menos, fez mais democrática a AJD, não?

Como se vê, inspiração dos parceiros golpistas Bicudo, Reale, Paschoal, e, como bem sabemos, de outros golpistas como Carvalhosa. Como aceita Você, Rui, a quem tanto admiro, trazê-lo, e a seus pares golpistas, como referências para solução da situação vergonhosa em que ele e demais golpistas meteram o Brasil?

Se for pelas propostas que Você considera boas, eu lhe garanto que existem pessoas muito mais respetáveis e decentes que propõem os mesmíssimos encaminhamentos, as quais Você poderia referenciar, em vez de ornar vagabundos e desprezíveis golpistas como esses.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Francisco de Assis

imagem de ze sergio
ze sergio

A nossa elite esquerdopata

A nossa elite esquerdopata tupiniquim seria cômica se não fosse trágica. A elite são outros. Corruptos, outros. O problema, outros. Se dizem a solução sendo o próprio problema. Querem ser a Policia e não se enxergam bandidos? É surreal.  Levantam o argumento e respondem ser o próprio empecilho. Quer dizer que advogado probo, golpista lhe convém? Os mesmos advogados que não aceitam tamanha criminalidade na Presidência da República mas não pedem primeiramente  a cassação do advogado-presidente? E aceitam pertencer a uma Entidade Civil, OAB, cujos membros tão párias podem ser? Como pária, o Governador de SP, antes Promotor, membro de OAB e MP/SP, que autorizou a chacina do Carandiru. O crime, abominável. O mandamte, companheiro? O Brasil se explica.    

Seu voto: Nenhum

E aí, Rui, tem

E aí, Rui, tem réplica?

Adoraria ler suas argumentações.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de franciscopereira neto
franciscopereira neto

Poupou

Você xará me poupou de fazer uma pequena pesquisa para afirmar o que você afirmou.

Eles promovem o golpe e depois vem com uma "solução" pronta.

Só cai nessa quem for idiota.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Roxane
Roxane

Desculpa aí, mas agora f****!

Desculpa aí, mas agora f****! Rui Daher e Francisco de Assis: afinal qual é a de Flávio Bierenbach? Nassif: a credibilidade de quem permites que escreva aqui fica comprometida  e por conseqüência ... desculpe, mas vamos ter que ficar checando e checando as informações que nos vem  por aqui? Fica difícil. Acho que o papel de checar e checar várias vezes em várias fontes não é do leitor, mas do jornalista. Evidentemente há que se distinguir um jornalismo de outro, o que é ''opinião ' e o que é ''informação''. Mas se nós leitores tivermos que a cada informação ter que fazer checagens... E evidentemente não estou falando de debates, mesmo que polêmicos.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Cuidado para não antecipar muito esse jogo

A historia politica é repleta de acordos. Foram eles que fizeram propulsar o mundo. O Brasil não escapa à essa regra. Porém, na nossa historia particular, todas as vezes em que governos com inclinação popular ou nacional-desenvolvimentista fizeram acordos, cedo ou tarde, levaram um golpe. Eh claro que o momento é tão delicado que precisariamos de um acordo entre partidos para que não sejam destruidos pela maquina judiciaria, que é claro, quer também poder. So que desta vez, a diferença é que mesmo sendo aliado a eles, ou parte deles, tomamos um golpe durissimo e, agora, para não morrermos todos no abraço de afogado, teremos que compor com os mesmos traidores... Soh que nesse tabuleiro, apesar de que nosso rei esta em xeque, eles ja perderam o rei deles.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

"Sim, sem dúvida, o País só

"Sim, sem dúvida, o País só sai dessa, como quer Nassif, com um grande pacto nacional"

Então, meu amigo, é melhor o país não sair dessa. Por que, como todos nós já devíamos saber, o "grande pacto nacional" é o seguinte: os trabalhadores pagam a conta, com jornadas de trabalho maiores, salários menores, e a morte no trabalho; os empresários, em troca enriquecem e prometem empregos. Com uma cláusula bem redigida que os desobriga de cumprirem promessas.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Propostas do arco ieis,

Propostas do arco ieis, parecendo ideais mas completamente irreais, servem apenas como tertulias, não chegam a lugar nenhum porque não compõe um conjunto de forças contrarias em sua essencia mas que podem ter um interese comum na proxima batalha sem com isso abdicarem de sua natureza construida pela força de lideres e pela genese da Historia.

Porque é tão dificil compreender a realidade das biografias e das representações? E a realidade de Historia?

Constituintes são produtos de guerras e ditaduras, não saem da garrafa de um genio em um pais gigante.

O grande acordo levantado por Luis Nassif é o pacto de governabilidade para travessar a tormenta e evitar o mal maior,

a aventura maligna de um salvador da Patria ou a tomada po poder por forças cinzentas que só representam seus interesses corporativos sem qualquer projeto de Pais a não ser usar suas armas, inqueritos e processos,  apoiadas por uma midia insana.

O pacto nacional se faz entre forças contrarias mas realistas que colocam na balança seus respectivos pesos politicos.

No Seculo XX o simbolo de pacto de contrarios foi o acordo Stalin Churchill em julho de 1941 para enfrentar Hitler.

Nada mais contrario no universo do que Stalin e Churchill mas havia um interesse comum, derrotar um inimigo de todos.

O pacto se fez em dois dias, demonstrando o ápice do realismo politico de grandes cerebros realistas, frios e aeticos.

Recuando no tempo , o Congresso de Viena em 1814 foi o grande pacto dos inimigos de Napoleão mas tambem inimigos entre si para reorganizar o mapa da Europa e garantir a paz por cem anos. Pacto se faz com contrarios e não entre amigos.

PT, PMDB, PSDB, DEM tem hoje um inimigo comum, o aventureirismo politico do "falso novo", juntos poderão arquiva-lo.

desunidos abrirão espaço para qualquer paraquedista apoiado pela GLOBO que levará o Pais às trevas.

Seu voto: Nenhum

André, por favor, explique como se faz um pacto...

Com quem você sabe que vai desrespeitá-lo assim que começar a perder o jogo (no voto)? Dá para fazer pacto com quem não respeita a democracia? Com quem não respeita a Constituição? Com quem não aceita perder?

Desculpe, mas, para mim, não dá. Lugar de golpista é na cadeia, no cadafalso ou no cemitério. Quem dá golpe é inimigo da democracia. Quem é inimigo da democracia é inimigo da sociedade. O pior possível.

O único pacto possível é com TODOS os responsáveis pelo golpe PAGANDO UM PREÇO BEM ALTO pelo que fizeram contra a Constituição e a Democracia.

E deveríamos aproveitar e pegar todos os golpistas de 1964 que ainda estão vivos (mesmo que estejam caquéticos) e darmos a eles o mesmo destino: cadeia, cadafalso ou cemitério.

Ou você acredita que golpista merece um pingo de confiança? Golpista merece perdão? Pra quê? Pra daqui a alguns anos dar outro golpe? Golpista arrependido não existe. Só se arrepende quando não participa da divisão do butim (tipo Carlos Lacerda).

Seu voto: Nenhum (1 voto)

DILMA DE VOLTA E ELEIÇÕES GERAIS PARA ESSE CONGRESSO GOLPISTA!

DIRETAS JÁ É CHANCELAR O GOLPE!

Um pacto se faz entre

Um pacto se faz entre INIMIGOS. Entre amigos não precisa pacto. Um pacto não tem passado, só futuro.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Não, meu caro...

Qualquer pacto com golpista está fadado ao fracasso. Principalmente, tendo em vista a ficha corrida desses calhordas. NÃO DÁ PARA CONFIAR EM GOLPISTA. Basta olhar para a nossa própria história. Qual o futuro de um pacto com quem não respeita a própria Constituição, não sabe viver em democracia e é inimigo de toda a sociedade? Você confia em traidor? Eu não confio. Muito pelo contrário. Para mim, lugar de golpista é na cadeia, no cadafalso ou no cemitério. GOLPISTA é o que há de mais CALHORDA, CANALHA e VIL.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

DILMA DE VOLTA E ELEIÇÕES GERAIS PARA ESSE CONGRESSO GOLPISTA!

DIRETAS JÁ É CHANCELAR O GOLPE!

imagem de Roxane
Roxane

A sugestão não é idiota não

A sugestão não é idiota não Rui, eu concordo, apesar de não ser especialista em nada.  Porque acordãonão tem como. Eles  não vaõ mceder em relação as reformas e nem nós. daí.. Ou alguém acha que acordão pode ignorar as reformas? Tipo prende uns, perdoa outros , escolhe um nome aceitável por muitos e la nave va?  E a bordo as reformas e todo o desmonte que já houve? Sou partidária da idéia de constituinte e até o seu final não se muda nada, só se toca o dia a dia. E qto a Lava jato? Como é que ficaria? Porque não vai adiantar constituinte se Curitiba continuar tendo ''convicções''.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.