Revista GGN

Assine

Tanto de meu estado me acho incerto, por Luís Vaz de Camões

Enviado por Gilberto Cruvinel

Tanto de meu estado me acho incerto, 
que em vivo ardor tremendo estou de frio; 
sem causa, juntamente choro e rio, 
o mundo todo abarco e nada aperto.

.

É tudo quanto sinto, um desconcerto;

da alma um fogo me sai, da vista um rio;
agora espero, agora desconfio, 
agora desvario, agora acerto.

.

Estando em terra, chego ao Céu voando, 

num'hora acho mil anos, e é de jeito
que em mil anos não posso achar um' hora.

.

Se me pergunta alguém porque assim ando, 

respondo que não sei; porém suspeito
que só porque vos vi, minha Senhora.
.

............................................................................................

Luís de Camões CAMÕES, L. Sonetos de Camões. São Paulo: Ateliê Editorial, 1998.

 
Cristina diz "Tanto do meu estado me acho incerto"
 

 

Média: 5 (3 votos)
3 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Enauro Mendes Pereira
Enauro Mendes Pereira

Tanto de meu estado me acho incerto, por Luiz Vaz de Camões

O Princípio da Incerteza de Heisenberg parece que se embebebeu do soneto de nosso vate mor!

Seu voto: Nenhum

Para mim, o segundo maior poeta da língua portuguesa

Só superado por Pessoa, porque Pessoa é insuperável.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Crise !

Para aguentá - la, só com muita poesia !

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

lenita

Lindo!

Lindo!

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Anna Dutra

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.